Multiuso

Postos de combustíveis agregam um novo mix

Com queda nas vendas em decorrência da pandemia, empresas passaram a reunir esforços para atrair o consumidor

02 de Abril de 2021 - 14h28 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

O tradicional posto de abastecimento da esquina das ruas Almirante Barroso com 7 de Setembro também está investindo na locação de espaços dentro da sua área (Foto: Divulgação - DP)

O tradicional posto de abastecimento da esquina das ruas Almirante Barroso com 7 de Setembro também está investindo na locação de espaços dentro da sua área (Foto: Divulgação - DP)

Com lucro menor, principalmente no último ano, em razão da pandemia da Covid-19, os postos de combustíveis estão se reinventando para continuarem no mercado. A locação de suas áreas físicas tem sido uma alternativa para a maioria. Em um caso bastante conhecido, o proprietário optou por encerrar a atividade de abastecimento, retirando as bombas operadoras, e transformar o local em área de gastronomia e diversão.

Um dos pioneiros em transformar o ambiente do posto de combustíveis em comércio agregado por outros empreendimentos, Hugo Carlos Lang Filho justifica esta estratégia. “Só vender combustíveis compensava antes, pelo volume”, explica. Com uma margem de lucro entre 10% e 11%, o que acaba sobrando, depois das despesas, fica entre 1% e 1,5%, contabiliza o empresário. Com a Covid-19, a venda de combustíveis teve uma queda de 20% a 30%.

Dentro de sua trajetória de 33 anos no ramo de postos de combustíveis, Guga conta que o funcionamento de uma loja da rede Panvel acabou atraindo outros negócios. Hoje, em filial no entroncamento das avenidas Adolfo Fetter e Rio Grande do Sul, tem um mix agregado bem diversificado de fruteira, venda de sushi, churrasquinho e chope e barbearia, entre outros negócios. O mais novo é uma lavanderia.

Dentro desta mesma estratégia, o tradicional posto de abastecimento da esquina das ruas Almirante Barroso com 7 de Setembro também está investindo na locação de espaços dentro da sua área. Utilizando contêineres, está transformando o antigo estacionamento do posto em moderno ponto comercial, que ainda não está plenamente ocupado em razão da pandemia, explica o gerente Matheus Alalan.

Os custos e mais os tributos levam parte dos lucros da venda de combustíveis, concorda. Com o aumento na queda das vendas, em 2017, o cenário para os postos começou a mudar. Agora, com o combustível bastante caro, tornou-se importante buscar outros rendimentos para o negócio, utilizando áreas disponíveis.

Pois é nelas que estão sendo montados 12 contêineres para locação, que incluirão barbearia e hamburgueria em negociação.Hoje, uma franquia da lavanderia 60 Minutos já funciona no local, com layout próprio. Segundo o franqueado André Soares, a localização dá a visibilidade que a franquia queria para o negócio. O sistema todo automatizado é uma novidade na cidade, agregando valor ao local.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados