Indicadores

Perspectivas positivas para a indústria gaúcha

Seu crescimento foi de um ponto, atingindo 58,5 pontos

06 de Janeiro de 2022 - 12h54 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Avaliação. O presidente da Fiergs, Gilberto Petry, projeta os próximos meses com base nos resultados obtidos em dezembro. (Foto: Divulgação - DP)

Avaliação. O presidente da Fiergs, Gilberto Petry, projeta os próximos meses com base nos resultados obtidos em dezembro. (Foto: Divulgação - DP)

Depois de cair por três meses consecutivos, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) gaúcho voltou a subir em dezembro perante novembro, fechando 2021 de forma positiva, segundo divulgou a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), ontem. Seu crescimento foi de um ponto, atingindo 58,5 pontos.

“Os resultados do último mês do ano sugerem um cenário positivo para a atividade industrial gaúcha nos primeiros meses de 2022. A presença de confiança, sustentada pela perspectiva de retorno completo das atividades econômicas e pela redução nas dificuldades na cadeia de suprimentos, contribuirá para a expansão do setor à medida que empresários mais otimistas são mais propensos a investir e a contratar”, diz o presidente da Fiergs, Gilberto Petry.

O industrial alerta, porém, que o cenário também apresenta incerteza, com a alta dos juros e da inflação, o risco fiscal e a pressão de custos provocada pelos aumentos nos preços dos insumos e matérias-primas, da energia elétrica e dos combustíveis.

O índice no fechamento de 2021 ficou acima da média histórica de 54,1 pontos, indicando confiança em nível bastante elevado. Já o Índice de Condições Atuais permaneceu estável em 53,1 pontos, o que significa que a percepção de melhora nas condições correntes dos negócios não se alterou na passagem de novembro para dezembro, mas, acima de 50 pontos, permanece positiva.

Em relação à própria empresa a percepção também é favorável, apesar da queda do índice de 56,3 para 55,7 pontos no período. Em contrapartida, o Índice de Condições Atuais da Economia Brasileira subiu de 46,2 para 47,9 pontos, mas continuou abaixo de 50. No último mês do ano, 31,1% dos empresários percebem piora na economia brasileira e 23,6% veem melhora. O Icei gaúcho varia de zero a cem pontos e valores acima de 50 indicam confiança.

Expectativas voltaram a crescer

As expectativas da indústria gaúcha para os próximos seis meses voltaram a crescer, após três quedas seguidas. O Índice avançou 1,4 ponto em relação a novembro, passando para 61,2, em dezembro. Acima de 50 pontos, reflete otimismo, que subiu ligeiramente para a economia brasileira: de 54,4 para 55 pontos. Em dezembro, o percentual de otimistas, 34,9% dos empresários, é superior ao de pessimistas (14,2%). As expectativas sobre as próprias empresas registraram a maior alta do mês, 1,7 ponto, e o maior patamar entre todos os componentes da confiança: 64,3 pontos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados