Natal

Menos importados na mesa

A alta do dólar vem afetado todos os segmentos da economia brasileira, direta ou indiretamente.

04 de Dezembro de 2021 - 12h47 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Tradição. Produtos que sempre estiveram nas mesas de Natal e Ano Novo passaram por reajuste médio de 40% no último ano (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Tradição. Produtos que sempre estiveram nas mesas de Natal e Ano Novo passaram por reajuste médio de 40% no último ano (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A alta do dólar vem afetado todos os segmentos da economia brasileira, direta ou indiretamente. As importações de produtos para o final do ano, se não tiverem sido feitas há alguns meses, estão praticamente inviáveis de ocorrer, já que eles chegarão ao consumidor final com preços muito elevados e pouco acessível para a grande maioria.

A comerciante Rose Klumb concorda que a oferta de produtos importados típicos para Natal e Ano-novo são muito poucos na confeitaria da área central da cidade, tradicional ponto de venda deste tipo de mercadoria. “Temos alguns biscoitos, espumantes e chocolates. Tudo comprado antes”, explica, referindo-se a produtos adquiridos há três meses, na maioria dos casos.

Para muitos consumidores, a alternativa de buscar estes produtos na fronteira com o Uruguai também não tem sido a saída, já que os preços sofrem a mesma variação da cotação do dólar e há o custo da locomoção. Nas frutas secas e suas variações, de consumo tradicional nesta época do ano, os preços subiram 40% em média, segundo o comerciante César Pereira. O quilo das nozes tem preços entre R$ 84,00 e R$ 102,00, das amêndoas, de R$ 72,00 a R$ 94,00 e das castanhas do Pará, de R$ 77,00 a R$ 115,00.

A vez dos espumantes gaúchos

Estabelecido há menos de um ano com loja na praia do Laranjal, Sílvio Cardoso concorda que a qualidade dos vinhos e espumantes nacionais, principalmente os gaúchos, podem substituir muito bem os importados neste final de ano. “Temos qualidade para competir”, diz, citando o premiado Quinta do Herval como opção para consumir ou presentear, com preços de R$ 65,00 em qualquer uma das variedades. A procura para fim de ano já começou, conta.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados