A venda

Marcado leilão de área da Cosulati na 20 de Setembro

Prédio onde funcionou a loja da empresa é avaliado em R$ 20 milhões e o terreno com as benfeitorias vai ser vendido para pagamentos de dívidas

11 de Junho de 2022 - 18h11 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Prédio onde funcionou a loja da empresa é avaliado em R$ 20 milhões e o terreno com as benfeitorias vai ser vendido para pagamentos de dívidas (Foto: Jô Folha - DP)

Prédio onde funcionou a loja da empresa é avaliado em R$ 20 milhões e o terreno com as benfeitorias vai ser vendido para pagamentos de dívidas (Foto: Jô Folha - DP)

Marcado para o dia 15, às 14h, o primeiro leilão da área da Cooperativa Sul Riograndense de Laticínios (Cosulati) na avenida 20 de Setembro, 281, nas proximidades do IFSul, onde funcionou por alguns anos uma loja principalmente de produtos da marca própria e também depósitos em prédios reaproveitados. O leilão é online e o recebimento de propostas ocorre desde o dia 4, explica o leiloeiro Rui Pinto. O segundo leilão da mesma área está marcado para dia 24.

Avaliado em R$ 20 milhões, o terreno com as benfeitorias vai a leilão para pagamentos de dívidas junto ao Estado do Rio Grande do Sul, trabalhistas e também com credores. A ação, datada de 14 de junho de 2020, foi originada de dívidas de Imposto de Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) da frota veículos da Cosulati, às quais se somaram outras, sintetiza o leiloeiro. No segundo leilão, o valor para arrematação cai para o mínimo de 50% da avaliação inicial. Os lances serão recebidos até o dia 24. A Cosulati está em processo de liquidação, como consta no edital de leilão.

Conheça um pouco mais:
Dentro do montante da dívida, existe uma hipoteca datada de 23 de dezembro de 2014, no valor nominal de R$ 13,2 mil.

A área levada a leilão faz limites, entre outros, com o Centro de Saúde, localizado na rua Lobo da Costa.
Mais informações sobre a área em questão e outros aspectos que envolvem o leilão são obtidas em www.ruipinto.leiloeiro.com.br.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados