Negócios

Maior fatia do Dia das Mães ficou com supermercados

Ao contrário do comércio, os estabelecimentos aumentaram em cerca de 10% as suas vendas desde o início da pandemia

13 de Maio de 2020 - 11h55 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Presidente Hélio Berneira estima em 10% o aumento das vendas com a pandemia do coronavírus (Foto: Jô Folha - DP)

Presidente Hélio Berneira estima em 10% o aumento das vendas com a pandemia do coronavírus (Foto: Jô Folha - DP)

Ao contrário dos lojistas, os supermercadistas não puderam reclamar das vendas para o Dia das Mães, confirma o presidente do Sindicato do Comércio de Gêneros Alimentícios, Hélio Berneira. Com restrições a ida aos restaurantes, um dos programas preferidos para a data, e de acesso às lojas, os supermercados acabaram recebendo maior número de clientes em busca de alimentos para o almoço e de presentes para a mamães.

“O consumidor optou pelo supermercado”, diz Berneira. “Todas as redes tem opções de presentes”, lembra o presidente, citando os setores de bazar, além dos segmentos de chocolates. Neste contexto, os supermercados, desde o começo do isolamento pela pandemia do novo coronavírus, aumentaram em 10% as suas vendas, estima.

A Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) não fez sua tradicional pesquisa sobre as vendas para a data.

Carnes foram bastante procuradas, mas as bebidas, ao contrário de outros anos, não tiveram a preferência dos supermercados para as comemorações em homenagem às mães. Os gêneros alimentícios têm mais vendas também em razão de as famílias estarem fazendo em casa muitos dos alimentos que adquiriam fora antes da pandemia.

Novas contratações

As exigências de maior cuidado no acesso aos supermercados e também de controle dos clientes na circulação dentro deles trouxe em cenário diferente ao setor: o da geração de novos empregos. Além das substituições, em razão da cautela com a pandemia, os supermercados precisaram aumentar o número de funcionários em 10% nos grandes estabelecimentos, avalia Berneira.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados