Pandemia

Maior desafio é mesmo manter vivas as indústrias

No Dia da Indústria, neste 25 de maio, a comemoração será em tom de avaliação e não de expectativas

25 de Maio de 2020 - 13h03 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Liderança. O presidente do Cipel, Amadeu Fernandes, avalia a situação do setor e a atuação da entidade. (Infocenter Cipel)

Liderança. O presidente do Cipel, Amadeu Fernandes, avalia a situação do setor e a atuação da entidade. (Infocenter Cipel)

A comemoração do Dia da Indústria, neste 25 de maio, foge de qualquer expectativa anterior e uma mera avaliação do momento atual extrapola perspectivas traçadas, sendo fundamental a defesa da continuação das operações das indústrias e a manutenção dos empregos, com renda para a população e menor endividamento das empresas.

Neste ano, divulga o presidente do Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel), Amadeu Fernandes, a data ganha nova interpretação e desafios instigantes para líderes empresariais e políticos. A manutenção da produção dos bens essenciais e a adaptação da forma de atuação frente ao novo comportamento da sociedade, que vivencia a pandemia do novo coronavírus viraram focos de debates.

Ao analisar a situação da região, o presidente diz que o setor metal-mecânico é o que mais está sendo afetado negativamente, ao contrário da produção de alimentos e dos produtos destinados à exportação, como a matéria-prima para a celulose. Na construção, 40% já retomaram o trabalho, mas o grande problema é o mercado de vendas, que está praticamente parado. “Precisamos de vendas ali adiante”, alerta.

Fernandes destaca a importância da indústria para o abastecimento da população em suas necessidades básicas e, em especial, da indústria da saúde, que busca se aperfeiçoar, para aumentar a capacidade de produção e atender às demandas, diminuindo o número de vítimas fatais pela pandemia.

No cumprimento de seu papel, o Cipel vem atuando, explica o presidente, para a superação dos desafios pelas indústria, desde o funcionamento perante decretos restritivos até os cuidados com o cumprimento das recomendações de prevenção aos trabalhadores determinadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Junto à sociedade, o Cipel participa de campanhas que instigam a solidariedade da população, comprometido com ela.

Ações futuras
Para assinalar a data, o Cipel realiza hoje, a partir das 18h30min, nova reunião virtual de diretores e associados, na qual o tema será as ações que a indústria deve adotar frente à recuperação do país após a superação da pandemia, o que exigirá medidas de defesa do setor, com ajuste fiscal e reformas estruturais do país. 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados