Dicas

IRPF: Como organizar os documentos?

Seis passos podem ajudar o contribuinte na hora de declarar o imposto de renda, sem deixar pra última hora

19 de Maio de 2020 - 11h29 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Recentemente, prazo de entrega da declaração foi prorrogado (Foto: Marcelo Camargo - Agência Brasil)

Recentemente, prazo de entrega da declaração foi prorrogado (Foto: Marcelo Camargo - Agência Brasil)

Mesmo com o prazo prorrogado para a entrega das declarações do Imposto de Renda Pessoa Física 2020 até o final do mês de junho, seis passos podem ajudar o contribuinte a organizar os seus documentos, não deixando isso para a última hora. Confira:

Quais documentos pessoais e profissionais é preciso ter em mãos?

Sobre os pessoais, o declarante usará o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF), se nasceu no Brasil, ou o Registro de Nascimento de Estrangeiro (RNE), se for natural de outro país. Em relação aos profissionais, são necessários os informes de rendimentos das empresas em que trabalhou em 2019.

E se trabalho de forma autônoma ou tenho empresa (CNPJ) registrada em meu nome?

Para quem tem CNPJ, é necessário a Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e para os trabalhadores autônomos, é preciso selecionar o carnê-leão referente aos meses trabalhados em 2019.

Quais documentos bancários preciso ter em mãos?

O declarante precisará do informe de rendimentos de todas as contas bancárias que possuía em 2019. É possível localizar esses documentos no internet banking do banco. Mesmo que a conta tenha sido fechada em 2019, é preciso lançá-la na declaração.

Quais os documentos são necessários para declaração de bens?

É preciso ter a escritura do imóvel/terreno, se houver, e também os dados do licenciamento do veículo, se houver.

E para declarar os investimentos, do que preciso?

Vai precisar levantar um informe de rendimentos de todas as contas que possuía em corretoras de valores em 2019, mesmo que elas tenham sido fechadas. ”Se você tiver realizado operações na bolsa de valores por meio de home broker, serão necessários notas de corretagem das suas operações e recibos de Darf, caso tenha feito pagamentos de impostos”, comenta a especialista em finanças pessoais Mariana Congo.

E se eu optar pela declaração completa e tiver dependentes, PGBL ou outras despesas para deduzir?

O declarante que possuir dependentes, precisará do número do CPF de cada um deles. Já os que tiverem Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) deverão informar os rendimentos da seguradora. E para outras despesas, são necessários os recibos de pagamento ou notas fiscais, como comprovantes médicos e despesas com educação, e guias de pagamento referentes a funcionários domésticos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados