Receita Estadual

ICMS teve queda de 34,9% em maio

Apesar disso, os principais indicadores de comportamento econômico-fiscal do Rio Grande do Sul seguem demonstrando tendência de retomada gradual das atividades

28 de Maio de 2020 - 12h04 Corrigir A + A -
 O melhor desempenho é no agronegócio (10,8%) .(Foto: Irga)

O melhor desempenho é no agronegócio (10,8%) .(Foto: Irga)

A Receita Estadual publicou a nona edição do Boletim Semanal sobre os impactos da Covid-19 nas movimentações econômicas dos contribuintes de ICMS do Estado. O resultado parcial da arrecadação de tributo em maio, do dia 1° ao 15, aponta redução de 34,9% (R$ 670 milhões) frente ao mesmo período de 2019. Apesar disso, os principais indicadores de comportamento econômico-fiscal do Rio Grande do Sul seguem demonstrando tendência de retomada gradual das atividades.

“A arrecadação de maio reflete o pior momento da crise até agora, pois as receitas do mês se referem, em sua maioria, a fatos geradores de abril, período de maior intensidade das medidas restritivas. Nesse sentido, a recuperação parcial dos indicadores de atividade econômica que estamos apurando deverá repercutir na arrecadação apenas a partir de junho”, explica Ricardo Neves Pereira, subsecretário da Receita Estadual.

A visão da arrecadação por segmentos econômicos, considerando os 16 Grupos Especializados Setoriais da Receita Estadual, detalha o contexto de queda, sinalizando que apenas cinco apresentam crescimento no acumulado do ano, enquanto 11 registram baixa. O melhor desempenho é no agronegócio (10,8%) e o pior ocorre no setor de calçados e vestuário (-32,4%).

No fechamento parcial de maio, o cenário é ainda mais grave: apenas transportes (54,9%) e supermercados (5,1%) obtiveram resultado positivo. As piores performances foram calçados e vestuário (-77,2%), e veículos (-63,5%).


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados