Inovação

Hora de retomar e reinventar o caminho

Empresas buscam novos mercados para recuperar o tempo e os recursos perdidos durante a pandemia

12 de Setembro de 2020 - 11h03 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Doçaria no Shopping Pelotas voltou a funcionar, oferecendo também nova linha de salgados (Foto: Divulgação - DP)

Doçaria no Shopping Pelotas voltou a funcionar, oferecendo também nova linha de salgados (Foto: Divulgação - DP)

O momento ainda é delicado, mas pode ser o certo para retomar os planos e reinventar a história da empresa, que era bem sucedida. A pandemia da Covid-19 pegou de surpresa o empresário Felipe Farias, que havia deixado há oito meses o quiosque de doces no Shopping Pelotas para ocupar a loja que reabriu na quinta-feira no mesmo empreendimento.

“É uma história de superação”, avalia Farias, ao falar sobre os últimos meses que o negócio precisou ser repensado. “Tentei reabrir antes, mas como são produtos perecíveis, precisavamos de fluxo de clientes”, explica o empresário, que sempre teve a esposa Vanize como sócia. Nos últimos 20 dias, Farias conta que viu uma reação positiva para a reabertura da Sweet John Specialities, que traz novidades para os clientes.

De volta a Pelotas, Vanize, que é farmacêutica de profissão, resolveu virar doceira, conta Farias, até que, no final de 2017, juntos, abriram o quiosque no Shopping Pelotas, onde vendiam a produção da empresa. Ambos de famílias de empresários, Farias é administrador. A marca, para ser desenvolvida inicialmente em Pelotas, foi criada com o propósito de virar franquia em 2022. O quiosque foi o piloto para essa ideia.

Com muitas despesas e a loja fechada por seis meses, uma das alternativas foi admitir dois sócios: o casal Fabiano Sena e Carolina Pereira. A outra foi dar atenção especial à central de encomendas personalizadas, em um momento em que festas e eventos deixaram de ocorrer. “O atendimento é todo personalizado”, conta Farias. Os contatos são feitos pelo Instragram ou pelo Whatshap.

O projeto da franquia foi antecipado para 2021. “Estamos montando um projeto bem ousado”, diz. São franquias abaixo de R$ 100 mil, com retorno entre 18 e 24 meses. As dez primeiras serão no estado e já há interessados de algumas cidades. “Tudo vai depender da logística”, adianta. O nome escolhido posiciona a empresa para uma marca global. John se reporta ao filho mais velho do casal Farias, o João.

Para a loja que foi reaberta na quinta-feira, as mudanças não foram muitas. “A principal foi agregar uma linha de salgados aos produtos já oferecidos”, diz Farias. 

Entre os doces, explicam que estão à venda os tradicionais de Pelotas, mas uma linha mais nova, que inclui bolos de pote, brigadeiros e macarrons.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados