Construção

Falta de materiais deve atrasar as obras maiores

Alguns produtos já tiveram reajustes de preços de até 80% desde o começo da pandemia, como é o caso da fiação elétrica

21 de Outubro de 2020 - 09h38 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Além dos atrasos pelos fabricantes, construção ainda enfrenta aumentos de até 80% nos preços (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Além dos atrasos pelos fabricantes, construção ainda enfrenta aumentos de até 80% nos preços (Foto: Carlos Queiroz - DP)

“Os reflexos da pandemia estão chegando aqui”, diz o diretor do Sindicato da Indústria da Construção e Mobiliário (Sinduscon) de Pelotas e região, o construtor Pedro Amaral Brito Leite, ao avaliar como a falta de materiais e as altas de preços desses produtos afetam o andamento das obras na cidade.

Alguns produtos já tiveram reajustes de preços de até 80% desde o começo da pandemia, como é o caso da fiação elétrica, e outros estão com o fornecimento comprometido até o início de 2021, como o das cerâmicas, que têm os pedidos entregues em um prazo de 90 dias. Em materiais em pvc, o fornecimento é parcelado, para atender à demanda

Quem não antecipou as compras terá atraso nas obras, com reflexos nos prazos que não poderão ser cumpridos dentro do previsto. Outra questão será a dos custos para as obras contratadas, explica Leite. Segundo o construtor, serão necessários de oito a dez meses para que o setor seja regularizado.

Nos preços, acredita que se manterão altos até o primeiro semestre de 2021. Alguns fornecedores pedem o pagamento antecipado para garantir “na fila” a entrega do produto. “A falta de cimento pode comprometer algumas obras na cidade”, conclui Leite.

Para o construtor Vittorio Ardizzone, materiais como o aço estrutural, o alumínio, as louças e as cerâmicas estão com as entregas atrasadas, como reflexo do aumento das reformas, por exemplo. Para alguns produtos, os preços também estão onerando o setor, muitas vezes com o chamado “preço do dia” nas entregas, comprometendo os orçamentos de custos feitos na hora dos pedidos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados