Oportunidade

Eficiente para lucrar em imóveis

Fundo imobiliário é uma boa forma de investir; além de alta rentabilidade, tem baixos riscos

15 de Setembro de 2019 - 08h10 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Vinícius lembra ainda que os custos operacionais são menores. (Foto: Divulgação - DP)

Vinícius lembra ainda que os custos operacionais são menores. (Foto: Divulgação - DP)

O fundo imobiliário é uma espécie de mecanismo que a Bolsa de Valores possui para investir em imóveis. E é através desse fundo que o investidor consegue se tornar sócio de grandes empreendimentos imobiliários.
Depois da compra da cota de determinado imóvel, o investidor passa a participar dos aluguéis que o local gera. “É a maneira mais eficiente para quem quer investir nesse ramo”, afirma o diretor da GX Investimentos, Vinícius Teixeira, que, em parceria com o Diário Popular, divulga dicas de investimentos àqueles interessados nesse mercado. Empresas do cotidiano do brasileiro compartilham suas ações, como Ambev e Magazine Luiza.

No momento, o investimento imobiliário que está em alta são os galpões logísticos. Como toda a economia do varejo está voltada a vendas na internet, as lojas físicas diminuíram seu tamanho e estão investindo em grandes centros de distribuição. “Uma loja pequena e um galpão que consiga fazer a entrega do pedido em um dia vêm sendo o foco das empresas”, explica.

Também é possível se tornar sócio de grandes prédios comerciais e de shoppings centers. Nesse cenário, os aluguéis dos inquilinos vão para o fundo e para as despesas e o restante é distribuído entre os acionistas. Um ponto destacado por Teixeira é que é possível comprar cotas com a partir de R$ 100,00.

Uma grande vantagem dessa modalidade é que, por exemplo, o investidor que possui um imóvel tradicional no valor de R$ 1 milhão e precisa de uma certa quantia com urgência, não pode vender apenas peça da propriedade. Com investimentos no fundo é possível vender o número de cotas necessárias e resgatar o valor que necessita. “O que no imóvel pode levar meses, no fundo leva um dia”, destaca o diretor da GX.

Para quem deseja investir, o primeiro passo é procurar uma corretora, efetuar o cadastro e pesquisar qual tipo de inquilino deseja. “Tem gente que gosta do aluguel de salas comerciais, então ela vai ter o fundo específico de sala comercial”, exemplifica. Independentemente do fundo escolhido, Teixeira afirma que todos envolvem grande segurança, além de serem livres de Imposto de Renda (IR) para pessoas físicas e das cotas valorizarem de acordo com o imóvel.

O futuro investidor que optar pela GX, poderá contar com profissionais especialistas no assunto. Esses são responsáveis por emitir relatórios semanais para os seu clientes. São dois modelos emitidos, tanto para o investidor que quer viver de renda como para o que quer a valorização da propriedade.

A dica final de Teixeira é que os custos operacionais para quem opta pelo fundo imobiliário são menores, já que esse não arca com as despesas e os impostos de ter um imóvel vago. Além disso, é possível destacar o baixo risco e a alta mobilidade do recurso.

Se quiser conhecer a GX, acesse http://bit.ly/conheca-a-GX


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados