Trabalho

Contratações temporárias devem cair pela metade

Projeções feitas pelo Sindilojas, trazem a estimativa da geração de 15% a 20% de vagas sobre o total obtido em 2019, que foram de 687 empregos temporários para o final de ano

19 de Outubro de 2021 - 11h22 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Vagas. A maioria das contratações deve ser para efetivação, já que o comércio começa a fazer a reposição dos empregados. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Vagas. A maioria das contratações deve ser para efetivação, já que o comércio começa a fazer a reposição dos empregados. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A procura tanto pelas empresas oferecendo vagas de empregos no comércio como pelos comerciários em busca de colocação no mercado ainda é considerada muito fraca, tanto junto ao Sistema Nacional de Emprego (Sine) local, que tradicionalmente faz esta intermediação, como no Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) de Pelotas, que mantém um banco de currículos para atender ao setor.

Projeções feitas pelo presidente do Sindilojas, Renzo Antonioli, trazem a estimativa da geração de 15% a 20% de vagas sobre o total obtido em 2019, que foram de 687 empregos temporários para o final de ano. Para 2021, devem ficar por volta de 110. Quando comparadas com o final de 2020, em plena pandemia da Covid-19, este número representa pouco menos da metade das 320 efetivadas.

Segundo Antonioli, são vagas que devem se efetivar, já que o comércio precisou dispensar parte da sua mão de obra ao enfrentar as restrições de funcionamento durante a pandemia e ter seu faturamento bastante reduzido em mais de um ano e meio de vendas fracas. “São vagas oferecidas por necessidade”, explica o presidente, referindo-se à reposição de quadro pessoal que precisa ser feita. Sem a pandemia, esta efetivação ficava entre 5% e 8% das vagas temporárias.

Junto ao Sine local, as solicitações pelas empresas pelos temporários foram mínimas - duas lojas apenas. Uma buscou cinco empregados e a outra três - as oito vagas já preenchidas, segundo o coordenador Glauber Burkle. A movimentação que houve foi para atender a duas filiais de rede nacional, que contratou mais de 50 funcionários - todos para permanentes. Mesmo com movimento ainda fraco na intermedição de vagas, Burkle acredita que as expectativas são boas para este final de ano, diante do quadro atual de retomada dos negócios.

Como oferecer e buscar uma vaga?

No Sine, a intermediação é gratuita para ambas as partes. O empresário deve fazer contato pelo e-mail vagaspelotas@fgtas.rs.gov ou pelo whats 3225-6024. Já o candidato à vaga precisa levar o currículo na sede do órgão, na esquina das ruas Lobo da Costa e General Osório ou encaminhar pelo Sine Fácil.

No Sindilojas, o lojista deve entrar em contato com a secretaria, pelo telefone (53) 3227-1646, e o comerciário, encaminhar o currículo pelo e-mail sindilojaspel@gmail.com. Toda a intermiadação também não tem custo para quem oferecer ou buscar uma vaga.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados