Imposto de Renda

Confira dicas para ter sucesso na declaração do IR este ano

FGTS é rendimento isento e deve ser informado na ficha Rendimentos isentos e não-tributáveis

12 de Abril de 2021 - 18h13 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Algumas novidades precisam ser esclarecidas, para que não caiam na malha fina ou tenham que recorrer às declarações retificadoras (Foto: Divulgação - DP)

Algumas novidades precisam ser esclarecidas, para que não caiam na malha fina ou tenham que recorrer às declarações retificadoras (Foto: Divulgação - DP)

Com ou sem adiamento do final do prazo para entrega da declaração de rendimentos do ano-base de 2020, a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2021 tem atraído a atenção de muitos contribuintes nos últimos meses. Algumas novidades precisam ser esclarecidas, para que não caiam na malha fina ou tenham que recorrer às declarações retificadoras. Confira algumas dicas de especialistas:

Auxílio emergencial

Benefício financeiro concedido pelo governo federal destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, com objetivo fornecer proteção emergencial no enfrentamento à crise causada pela Covid-19, deve ser declarado, caso o beneficiário ou seu dependente tenha recebido outros rendimentos tributáveis acima do de R$22.847,76, usando a ficha Rendimentos tributáveis recebidos de pessoas jurídicas, indicando como fonte pagadora Auxílio emergencial - Covid-19.

Saque emergencial FGTS

Quem fez algum saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) em 2020, como saque emergencial, saque-aniversário, foi mandado embora do trabalho e recebeu o saque-rescisão ou ainda usou o FGTS para a compra da casa própria, entre outras possibilidades, está obrigado a informar o valor recebido na declaração. O FGTS é rendimento isento e deve ser informado na ficha Rendimentos isentos e não-tributáveis.

Aluguel de imóvel

Apesar de não ser usado para deduzir o imposto devido, a Receita Federal do Brasil (RFB) exige que seja informado o valor gasto no ano passado, na ficha Pagamentos efetuados. Se a informação foi omitida, pode acarretar multa de 20% sobre o valor não declarado.

Despesas médicas

Aqui valem as despesas do contribuinte, dos dependentes e alimentandos, sem limite de valor. Porém, é preciso comprovar com notas fiscais ou recibos, e guardar estes comprovantes por cinco anos. Os medicamentos comprados em farmácia, ainda que de uso contínuo, não podem ser deduzidos do IR. Só serão válidos se estiverem incluídos na conta de uma internação hospitalar.


Não deixe nada para a última hora

São muitos os documentos necessários para a declaração: documentos pessoais, dados de dependentes, informe de rendimentos de salários, pró labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão, informações de outras receitas como aluguéis, informes de rendimentos dos bancos, financeiras, recibos e notas fiscais de pagamentos, reembolsos e despesas médicas, odontológicas, ensino e previdência privada, documentos que comprovem compra e venda de bens, etc. A dica final é não deixe para a última hora.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados