Pandemia

Concessionárias precisam reinventar o atendimento

Empresas buscaram oferecer diferenciais em mercado que começou a mostrar reação no mês de maio

31 de Maio de 2020 - 09h32 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Montadoras também adotam estratégias para o aumento das vendas e esvaziar pátios das fábricas (Foto: Infocenter DP)

Montadoras também adotam estratégias para o aumento das vendas e esvaziar pátios das fábricas (Foto: Infocenter DP)

Diante de um cenário econômico imprevisto para as duas pontas de qualquer negócio, vendedores e compradores, as concessionárias de veículos tiveram que se reinventar para atender os clientes - e ir mais além: oferecer diferenciais no mercado, que começou a mostrar em maio uma reação em relação aos meses anteriores, conforme o representante da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) na região, Realdir Furtado.

Em maio, as vendas se mostraram melhores, com crescimento de 70% nos veículos seminovos, na comparação com o mês de abril. Esse é contraponto das vendas de veículos zero quilometro, incentivadas pelas montadoras com diferentes ações. “O cliente está aumentando o nível de confiança e aprendendo a lidar com esse momento”, diz Furtado. Nos novos veículos, as vendas cresceram 60% em maio, depois de uma demanda reprimida em abril.

Mas como as concessionárias passaram lidar com a pandemia do novo coronavírus, o isolamento social e a prevenção da transmissão do doença? Furtado explica que a saída foi partir com maior ênfase para as vendas online, em que o comprador acaba não precisando ir à loja da concessionária para conhecer o veículo, tendo todo o negócio facilitado pelo vendedor, através de um software especialmente criado para isso.

“Hoje, por agendamento, podemos até entregar o carro novo na casa do cliente”, diz o empresário. Sobre o percentual de vendas online e na loja física, avalia que está meio a meio - 50% para cada. “Sairemos fortalecidos”, avalia Furtado, lembrando que as concessionárias em Pelotas estiveram fechadas por 20 dias. Hoje, os investimentos são feitos naquilo que dará resultado, em processo de reengenharia financeira, completa.

Dados novos apontam que aumentou o tíquete médio de venda dos carros novos em maio, em relação ao período de janeiro a abril, quando ficou em R$ 47 mil. Em maio, passou para R$ 57 mil, valor justificado por alguns lançamentos que as montadoras estão fazendo na retomada de suas produções. Bônus e compra facilitada buscam esvaziam os pátios da montadoras, após o período de demanda reprimida.

Para o dia 5 de junho, a Anfavea marcou nova apresentação dos seus dados estatísticos, desta vez com os números de maio. Para isso, usará os seus canais digitais. 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados