Dinheiro

Com o 13º salário nas mãos

A primeira parcela deve ser paga sem qualquer desconto e representa a metade do salário, conforme o estabelecido pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT)

30 de Novembro de 2021 - 12h15 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

ECONOMIA-02

Para a maioria dos empregados da iniciativa privada, a data desta terça-feiraq (30) coincide com o pagamento da primeira parcela do 13º salário, o abono de Natal. A primeira parcela deve ser paga sem qualquer desconto e representa a metade do salário, conforme o estabelecido pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Também os empregados domésticos devem receber o 13º.

Já a segunda parcela deve ser paga até 20 de dezembro, mas com descontos, como o recolhimento do Imposto de Renda na fonte e da Previdência Social. Muitos empregadores, principalmente em razão da Covid-19, estão com dificuldade para cumprir estes prazos. Alguns deverão recorrer a linhas de crédito, o que está difícil para os pequenos, que perderam seu relacionamento bancário no último ano, lembra o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), Renzo Antonioli.

O descumprimento do prazo é considerado uma infração, resultando em multas se for autuado. O valor é de 160 Ufirs (R$ 170,25) por empregado, que será dobrado na reincidência. A multa é administrativa e, dependendo da convenção coletiva de trabalho do empregado, o 13º pago em atraso deverá ser corrigido pelo empregador.

Como calcular?

O 13º é devido por mês trabalhado, ou fração do mês igual ou superior a 15 dias. Assim, se o empregado trabalhou de 1º de janeiro a 14 de março, terá direito a 2/12 avos, já que a fração de março não foi igual ou superior a 15 dias. As médias dos demais rendimentos, como hora extra e comissões adicionais, são também somadas ao valor do salário usado para cálculo do 13º.

Como usar?

O pagamento do 13º salário injetará R$ 232,6 bilhões na economia brasileira, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), e especialistas indicam qual é o melhor modo de utilizar o 13º, já a partir desta primeira metade. Segundo o consultor e educador financeiro Valdilei Jacob, a maneira correta é aquela que ajuda o trabalhador a melhorar a sua condição.

Sua primeira dica é limpar o nome, para os inadimplentes, e recuperar o crédito, sempre priorizando aquelas dívidas com juros mais altos, como o cartão de crédito. É recomendável, segundo Jacob, negociar as dívidas. Para dívidas em aberto, sem atrasos, o 13º pode ser usado para quitá-las com dinheiro à vista, possibilitando descontos.

Presentear no final de ano também é uma opção para usar o 13º, mas com cautela. A orientação é fazer uma lista de pessoas, pesquisar preços e priorizar promoções. Outra dica é sobre poupar, fazendo uma reserva para os imprevistos e também para as despesas extras de começo de ano, como os impostos prediais e automotivos, as férias e as compras de material escolar para a volta às aulas, online ou presenciais.

E os demais?

Municipários receberão integralmente o 13º no dia 20 de dezembro. Ontem, o funcionalismo estadual, incluindo aposentados e pensionistas, recebeu a primeira parcela e o federal recebe a segunda parcela no segundo dia útil de dezembro - a primeira saiu com as férias. A Previdência adiantou o 13º em meses anteriores.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados