Desenvolvimento

Celulose gera mais de R$ 29 milhões em tributos

O palestrante do Tá na Hora, Daniel Ramos, fez um balanço das atividades desenvolvidas no Rio Grande do Sul, a partir da planta de celulose única na cidade de Guaíba

22 de Novembro de 2019 - 11h40 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Desenvolvimento. Diretor da CMPC Brasil,  Daniel Ramos, mostrou dados e destacou a presença única no Estado. (Foto: Divulgação - DP)

Desenvolvimento. Diretor da CMPC Brasil, Daniel Ramos, mostrou dados e destacou a presença única no Estado. (Foto: Divulgação - DP)

Diretor de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da CMPC Brasil, Daniel Ramos foi o palestrante da reunião-almoço Tá na Hora, da Associação Comercial de Pelotas (ACP), na quinta-feira (21), quando fez um balanço das atividades desenvolvidas no Rio Grande do Sul, a partir da planta de celulose única na cidade de Guaíba.

Pelotas e Rio Grande, com o incremento das atividades portuárias, também são cidades importantes para a empresa, dentro de um contexto de 62 municípios do Estado. Para a região, a CMPC está trazendo um impacto anual de mais R$ 29 milhões em impostos arrecadados, segundo Ramos.

Gerando 6,6 mil empregos, com forte impacto em toda a cadeia produtora, mantém 914 hortos florestais no Estado, com uma área plantada de 136 mil hectares de árvores. Na região de Pelotas, estão envolvidos 14 cidades, com uma área de 30 mil hectares em plantio, gerando mais de 1,1 mil empregos,

Chilena, a CMPC foi criada em 1920 e ainda hoje está sob o controle da família Matte. Com uma governança corporativa, passa pelo momento de criação de um novo futuro no contexto mundial, que exige produtos focados em menor impacto ambiental. Ao Brasil, chegou em 2009, com a aquisição da Unidade Guaíba da Aracruz Celulose, a única que mantém no país


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados