Inflação

Aumentam custos médios do cesto básico e da ração

Os hortifrutigranjeiros foram os cinco produtos com maiores aumentos de preços em setembro, com repercussão na elevação média do custo da ração essencial, que é baseado no levantamento destes itens

05 de Outubro de 2021 - 13h09 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Vilões. Os hortifrutigranjeiros tiveram os maiores reajustes médios de preços em setembro nos supermercados. (Foto: Jô Folha - DP)

Vilões. Os hortifrutigranjeiros tiveram os maiores reajustes médios de preços em setembro nos supermercados. (Foto: Jô Folha - DP)

Levantamento de preços do Procon de Pelotas nos supermercados da cidade encontrou aumentos médios nos custos do cesto básico de 51 produtos e da ração essencial de 13 no mês de setembro. Segundo o Serviço de Educação ao Consumidor, o cesto básico teve reajuste médio de 1,63%, passando seu custo de R$ 1.085,33 para R$ 1.103,02, na comparação com o levantamento de agosto.

Os hortifrutigranjeiros foram os cinco produtos com maiores aumentos de preços em setembro, com repercussão na elevação média do custo da ração essencial, que é baseado no levantamento destes itens. Em setembro, a ração essencial teve majoração média de 3,37%, passando seu custo de R$ 548,49 para R$ 566,99, segundo os dados fornecidos pelo Procon local.

A vilã dos reajustes de preços nos supermercados foi a cenoura, com aumento de 49,25%, seguida pela cebola (46,98). O tomate, que vem oscilando, a cada mês, entre elevações e quedas de preços, voltou a custar 30,34% a mais. A massa de tomate, no entato, teve redução média de preços nos supermercados de Pelotas, ficando o produto 6,69% mais barato.

Principais variações:
Aumentos
Cenoura - 49,25%
Cebola - 46,98%
Repolho branco - 32,13%
Mamão formosa - 30,97%
Tomate longa vida - 30,34%

Quedas
Queijo - 13,98%
Massa de tomate - 6,69%
Pão francês - 5,82%
Leite longa vida - 3,60%
Arroz - 3,56%

Estáveis: achocolatado, farinha de trigo e absorvente

Reajuste maior na ração

Comparativo feito pela chefe do Serviço de Educação ao Consumidor do Procon de Pelotas, Ana Paula Duarte, mostra que reajustes médios maiores nos produtos da ração essencial não são raros. Entre dezembro do ano passado e setembro deste ano, os 13 produtos tiveram variação para mais de 8,11%. No período, seu custo passou de R$ 524, 48 para R$ 566,99.

No cesto básico, o aumento no período foi de 6,38%, indo seu custo médio de R$ 1.036,86 para R$ 1.103,02.

O cesto básico deve atender a uma família de até quatro pessoas por um mês e a ração essencial de um só pessoa.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados