Temporada

Altas temperaturas estimulam as vendas em Pelotas

Com o calor, sorvetes e ventiladores são produtos que registram aumento na comercialização

22 de Dezembro de 2017 - 13h40 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Hora de se refrescar com o sorvete, produto que dobra as vendas com o calor  (Foto: Jô Folha - DP)

Hora de se refrescar com o sorvete, produto que dobra as vendas com o calor (Foto: Jô Folha - DP)

Com as altas temperaturas, ventiladores se tornam opções de presente para o Natal (Foto: Jô Folha - DP)

Com as altas temperaturas, ventiladores se tornam opções de presente para o Natal (Foto: Jô Folha - DP)

Bem abastecido, o comércio pelotense vê crescer em dias como o de ontem, com tempertaturas acima dos 30 graus, a comercialização de produtos típicos para enfrentar o calor. Entre os eletrodomésticos, o campeão de vendas é mesmo o ventilador, diz o gerente Aldo Bastos. Na filial da rede, são vendidas pelo menos 20 unidades por dia.

“Porque ainda não esquentou mais”, justifica Bastos, que vê muitos dos ventiladores servirem de presente para o Natal. Com 30 centímetros, cada aparelho tem o preço médio de R$ 80,00. O marceneiro João Ferreira, morador no Areal, aproveitou o calor e vai presentear com um ventilador a filha Pâmela, que está gravida.”É um presente útil”, explica.

No primeiro dia do verão de 2017/2018, cadeiras de praia, boias e guarda-sóis são bastante procurados, principalmente diante de um feriadão para muitos consumidores. Segundo o também gerente Itamar Vaz, o abastecimento é diário, com a chegada de caminhões para todas as redes, no começo de cada manhã. As cadeiras de praia têm preços a partir de R$ 30,00.

Se o jeito é se refrescar com um sorvete, existem mais de 30 sabores no bufê e quatro combinações no expresso, conta Vinícius Nogueira. O sorvete em casquinha, que é o mais barato, custa R$ 2,50. Em dias como o de ontem, as vendas aumentam 40% em relação a outros menos quentes. Já a água mineral tem a procura dobrada, mas divide a preferência com refrigerantes e sucos, diz a comerciante Cláudia Hoch.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados