Turismo

Agências de viagens devem se adequar para a retomada

Principal recomendação ainda é uma maior atenção aos protocolos determinados pelos gestores de cada cidade

08 de Setembro de 2020 - 22h44 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Gramado foi atração no feriadão da Semana da Pátria e deve continuar como foco turístico no Estado (Foto: Divulgação - DP)

Gramado foi atração no feriadão da Semana da Pátria e deve continuar como foco turístico no Estado (Foto: Divulgação - DP)

O turismo foi um dos setores mais afetados pela crise provocada pela Covid-19, atingindo profundamente todo o segmento envolvido. Para algumas agências de viagens, a crise chegou a determinar o fim das atividades; para outras, apenas uma interrupção, que agora ganha a retomada, como mostraram os fluxos de visitantes em tradicionais pontos turísticos do país e do Estado no feriadão.

A hora, agora, é de se adaptarem à nova realidade, ainda marcada pelos cuidados para evitar a transmissão da Covid-19, alerta o Sebrae, que dá dicas para esse momento, em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), especialmente para os pequenos negócios do ramo, com foco na segurança e na saúde de trabalhadores, gestores e dos clientes.

A primeira recomendação é para que as agências estejam atentas aos protocolos de funcionamento determinados pelos gestores de cada cidade. Outra recomendação é para que os empreendedores busquem informações sobre protocolos de companhias aéreas, hotéis, empresas de cruzeiros, aeroportos e parques, entre outros, e a adoção dos protocolos específicos de serviço de transporte, se ele for oferecido.

No local de trabalho, clientes e funcionários devem usar água e sabão ou álcool em gel 70%, mesma medida que deve ser adotada em objetos usados. Também é necessário manter a distância entre clientes e funcionários, com a instalação de barreiras de vidro ou acrílico e a diminuição de pessoas no local. Outra recomendação é o agendamento para evitar aglomeração, priorizando atendimento pela internet ou através do telefone, principalmente para públicos mais vulneráveis à Covid-19.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados