47ª Feira do Livro

Uma trajetória para contar

Delegado de Polícia, promotor de Justiça e advogado, Vilson Farias conta histórias de sua atuação em novo livro

12 de Novembro de 2019 - 12h06 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Narrativa foca em casos conhecidos  (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Narrativa foca em casos conhecidos (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Tópicos da trajetória de Vilson Farias como - Delegado de Polícia, promotor de Justiça e advogado é o mais novo livro de Vilson Farias. A obra será lançada em Pelotas nesta terça-feira (12), com sessão de autógrafos na 47ª Feira do Livro a partir das 19h. A obra está à venda na livraria Vanguarda.

Nesta obra o promotor de Justiça aposentado, advogado e escritor narra diversos casos que enriqueceram seu trabalho como delegado de Polícia no Rio Grande do Sul, principalmente em Pelotas de 1978 a 1983, como promotor de Justiça também no Rio Grande do Sul, de 1983 a 1996, e exercendo a advocacia de 1996 até este ano, em que dirige uma Banca de Advocacia Geral em Pelotas composta por vários advogados. O livro é dividido em quatro partes nucleares, sendo que a primeira aborda episódios de sua atuação como delegado de Polícia em Pelotas e outros municípios.

A segunda parte trata de tópicos que envolvem sua atuação como promotor de Justiça no Rio Grande do Sul, especialmente em Pelotas e Região Sul; a terceira expõe casos emblemáticos de sua atuação como advogado. No quarto capítulo o autor traz reproduções de artigos jornalísticos que tiveram origem em casos por ele protagonizados.

A narrativa como delegado de Polícia em Pelotas, por exemplo, inicia-se com descrição dos bastidores do famoso caso das imagens sacras, quando, comandando uma investigação vitoriosa elucidou a subtração de centenas de imagens sacras ocorridas em Pelotas e em inúmeras outras cidades do Rio Grande do Sul.

Oportunidade que revela os meandros nervosos de um trabalho policial que começou em Pelotas, passando por Porto Alegre e outros estados do Brasil e culminou com a recuperação do material, o qual foi devolvido aos templos religiosos, inclusive com missas e procissões de agradecimento a todos os policiais que atuaram no caso. Descreve, ainda, outros casos policiais como latrocínios, homicídios e desbaratamento de quadrilhas de bandidos que atuavam em Pelotas e região.

Casos e publicações

Como promotor de Justiça, a obra refere-se ao trabalho desenvolvido por Vilson Farias, principalmente nas Promotorias de Bagé, Lavras do Sul, Piratini, Arroio Grande, Rio Grande, Pelotas, Porto Alegre e outros municípios.

Como advogado Vilson Farias faz considerações em torno dos seguintes casos, como o da oficina (ação indenizatória pela prática do racismo). Também o do zelador e porteiro (outra indenizatória pela prática do racismo), entre outros.

Na quarta parte são anexadas ao livro diversas reportagens publicadas pelos jornais de Pelotas, de Porto Alegre e de outros estados do Brasil, em torno de casos em que Vilson Farias participou. A obra contém mais de 400 páginas, tendo sido organizada pelos advogados Cláudia Letícia Pinto da Cunha e Thiago Seidel, que trabalham na Banca de Advocacia que Vilson Farias dirige e com diferentes prefaciadores.

Serviço

O quê: lançamento do livro Tópicos da trajetória de Vilson Farias, por Vilson Farias

Quando: nesta terça-feira (12), às 19h

Onde: Feira do Livro de Pelotas, praça Coronel Pedro Osório

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados