Beleza

Uma sonhadora com os pés no chão

Miss Rio Grande do Sul, Alina Furtado, intensifica preparação e mostra que se acomodar não faz parte da sua personalidade

21 de Novembro de 2020 - 14h48 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Da Engenharia Civil à Psicologia, quem tem coragem de dar uma guinada dessas na carreira, mesmo que ainda como estudante, mostra que a palavra acomodação não figura no seu dicionário. Pelo contrário. É com o espírito de quem ama abraçar os desafios e as mudanças com determinação que Alina Furtado, Miss Rio Grande do Sul CNB 2020, prepara-se para o mais badalado concurso nacional de beleza, o Miss Brasil. E a preparação está em ritmo final, porque o certame está marcado para a segunda quinzena de janeiro.

E para esse grande momento as exigências não são só com o físico, as candidatas são avaliadas também pelas suas habilidades, conhecimentos e engajamento em causas sociais. Nada que seja estranha à essa pelotense de 25 anos. Em 2017 ela já portava a coroa de Miss Pelotas e ficou no top 3 da final.

Na época a jovem morava em Pelotas e fazia faculdade de Engenharia Civil na Fundação Universidade do Rio Grande (Furg). A futura carreira dava sequência natural ao curso de técnico em Edificações, que havia concluído no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFSul).

Na Engenharia ela foi até ao quarto ano, quando decidiu mudar radicalmente de área de atuação. "Mudei para Psicologia. Saí da construção de prédios e pontes para a reconstrução de almas", conta. E esta não foi a única vez que teve de se reinventar.

Alina conta que mesmo durante o curso de Edificações ela começou a ler sobre psicologia, pois imaginava que como projetaria habitações e locais de convívio, era importante entender um pouco mais do comportamento humano. "Depois entrei em contato com a psicanálise e acabei mergulhando e me apaixonando cada vez mais nesse outro universo, o da psicologia, que era totalmente diferente da engenharia que conhecia até então. Me sinto muito feliz com essa escolha."

Mas as mudanças na vida da estudante não pararam por aí. Há um ano e três meses ela está em Porto Alegre. "Transferi a faculdade aqui pra capital. Estou indo para o 7º semestre."

Essas idas e vindas e mudanças de cidade parece que também estão no destino desta Miss. Alina que nasceu em Pelotas, onde permaneceu nos primeiros meses de vida. Logo depois a família se mudou para Piratini, cidade onde mora até hoje. Em terras piratinienses ela residiu até quase aos 15 anos, quando retornou à terra natal para cursar o Ensino Médio e fazer o curso técnico. "Saí bem nova de casa para ir atrás dos sonhos", relembra.

E mesmo com um pé em Pelotas e outro em Rio Grande, quando cursava engenharia, teve tempo de se tornar Miss e em 2017 representar os pelotenses no estadual, quando ficou entre as três mais belas e bem-preparadas. "Em 2017 foi um momento muito especial, pois eu consegui avançar ao Top 3 levando o nome de Pelotas em um mundo dos concursos em que eu era desconhecida até então."

Ao bom desempenho ela atribui a muito preparo, exigência do coordenador de Pelotas, Sergio Piñeiro. "Foi um resultado emocionante e muito marcante para nós. Confesso que avançar até o lugar de 2ª Vice Miss RS despertou um interesse em buscar, dentro de alguns anos, mais uma vez o título", conta.

Para isso Alina seguiu dedicada aos estudos, depois à mudança de cidade, sem perder o foco no seu desenvolvimento e amadurecendo como pessoa. "Em um ano completamente atípico como esse que estamos vivendo, a coordenação do Miss RS CNB que agora é do Marcelo Soes me surpreendeu com um especial convite: a oportunidade de levar o Rio Grande do Sul ao Miss Brasil."

Segundo a Miss, a coordenação, em vista do atual cenário, não podia fazer evento com o concurso como acontece anualmente e precisava indicar uma candidata. "Devido a minha experiência anterior, o caminho que percorri e a história que construí, fui presenteada com essa missão especial e aceitei ir em busca desse sonho por todos nós." O anúncio e coroação ocorreram em setembro.

Outra gaúcha, Julia Gama, que foi Miss Brasil Mundo 2014, e é agora Miss Brasil Universo 2020 foi escolhida da mesma forma: através da sua experiência e pela sua essência. "É algo inédito, mas ao mesmo tempo, muito especial, pois diferentemente do momento de concurso onde estamos nos preparando para a coroa, fomos escolhidas por uma seleção silenciosa pelo caminho que trilhamos, pela bagagem que temos e pelo que somos", comenta.

Causas sociais

O que a fez aceitar, comenta Alina, é um desejo de poder dar voz a diferentes causas sociais, além de trabalhar por elas, como ela vem fazendo com projeto social MobilizAdos (mobilizar estados e mobilizar pessoas) criado por ela. "Poder incentivar as pessoas a correrem atrás dos seus sonhos, exercitarem um senso crítico, uma mente reflexiva e criativa e que, através das atitudes exercidas e geradas por mim, seja possível influenciar positivamente as pessoas a também buscarem construir um mundo melhor pra se viver."

A Miss relembra que quando morava em Pelotas participava de algumas ações, mas uma dedicação mais intensa começou mesmo depois da mudança para a Porto Alegre, quando procurou Ongs para se voluntariar pela capital também. "As vezes somos analisados somente por fora (e é compreensível ainda mais em um contexto de concurso de beleza), mas penso que cada vez mais importante é sermos também de dentro pra fora. Qual o tamanho do nosso coração? Da nossa vontade de nos doarmos pelos ideais que carregamos?", questiona.

Ao ser perguntada sobre o que mais a preocupa nesta tarefa de representar a beleza de um país e o que mais a motiva, Alina argumenta que o conceito de estética é algo muito complexo e que antigo que filósofos já o estudavam e buscavam definições. "Estética é uma palavra que vem do grego e significa percepção, sensações, sensibilidade. O belo causa sensações. Estamos rodeados por beleza. É fácil notar através da natureza: repare no beija-flor, no leão com sua juba. Um nascer e o pôr do sol... Acredito que não seria o que me preocupa, mas sim o cuidado que tenho, e também o que me motiva, dentro do mundo dos concursos de beleza é que seja possível transmitir que além do belo tangível e admirável, existem outros pilares. Outros papeis sociais. Outras comemorações que se fazem tão marcantes e tornam a missão do reinado ainda mais significativo."

Tentando seguir esse conceito de beleza natural, Alina conta que a sua preparação para o certame nacional não incluiu procedimentos cirúrgicos. Mesmo assim a rotina segue pesada, especialmente nessas últimas semanas de preparo.

Na rotina desta Miss RS CNB estão as atividades físicas, as sessões psicoterapia. A agenda ainda inclui aulas para afinar o inglês e a oratória, além de cursos de automaquiagem e piano. Durante a semana ainda tem que arrumar tempo para os compromissos com sessões de fotos, presenças oficiais e ações sociais. Tudo muito corrido, mas feito com muita dedicação e amor.

Nas redes

Para quem quer ficar de olho no cotidiano da Alina Furtado basta segui-la nas redes sociais, onde é muito ativa. No Instagram ela está como @alina.furtado e o projeto social dela, pode ser encontrado no perfil @mobiliz.ados. O concurso nacional será de 13 a 17 de janeiro, com final dia 16, em Brasília.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados