100 anos

Uma corrente de solidariedade e empatia

Evento será transmitido pelas redes sociais do Theatro Guarany e do Diário Popular

29 de Abril de 2021 - 12h21 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Theatro está fechado desde o ano passado por causa da pandemia  (Foto: Jô Folha - DP)

Theatro está fechado desde o ano passado por causa da pandemia (Foto: Jô Folha - DP)

Solidariedade e empatia vão marcar os 100 anos do Theatro Guarany. A data festiva será nesta sexta-feira (30) e, por causa da pandemia, a celebração será virtual em forma de live. O evento on-line com diferentes atrações vai beneficiar o projeto Corrente Beija-Flor, que desde o ano passado tem auxiliado centenas de famílias em situação de vulnerabilidade social. A ação começa às 20h e será transmitida pelo Facebook do Guarany e do Diário Popular.

"Ser solidário é um dos ensinamentos que essa pandemia trouxe à humanidade", diz a diretora do Guarany, Andréia Fetter Zambrano. Com as portas do Theatro fechadas para espetáculos desde março do ano passado,

Andréia conta que chegou a desanimar por não fazer uma celebração de casa cheia.
Incentivada por amigos e pessoas da comunidade que se orgulham desse Theatro, a diretora retomou a ideia de comemoração. "São pessoas que se uniram pela causa do Guarany, pela importância que ele tem na vida deles."

Esse abraço ao Theatro é, na opinião da diretora, um ato de solidariedade, de empatia, que agora transborda para outras pessoas com a participação da Corrente Beija-Flor na live. "Nesse momento tão difícil pra todos você vê muita união. Como agora, mesmo estando fechado o Guarany também se engaja para ajudar a Corrente Beija-Flor."

Betinho inspira

O projeto independente, Corrente Beija-flor foi criada em março de 2020 inspirado pelo trabalho do sociólogo Herbert José de Souza, o Betinho (1935-1997). Os voluntários atuam principalmente nos bairros Getúlio Vargas, Navegantes e Dunas, dando a mão a mais de 1 mil famílias cadastradas que recebem cestas básicas.

O movimento se mantém com doações em dinheiro, de alimentos e outros materiais, como de higiene e limpeza e cobertores, que são entregues nos pontos de coleta. "Não é um movimento que a gente vai atrás, são empresas e pessoas anônimas que nos procuram para ajudar. São várias pessoas fazendo a sua parte", conta uma das coordenadoras do projeto, Elis Radmann.

O foco são sempre os invisíveis, ou seja, aquelas pessoas que não tem documentação adequada para solicitar o auxílio emergencial, por exemplo. O principal desafio da ong é a inconstância das doações frente ao crescente aumento da desigualdade social.

Por este motivo o convite para ser a instituição beneficiada nesta live comemorativa foi recebido com muita alegria. Durante a transmissão o público que estiver curtindo as atrações poderá fazer a doação de uma cesta básica por meio de depósito bancário, via pix, de R$61,00. A jornalista Cissa Baini, voluntária, diz que essa foi a forma mais fácil que o grupo encontrou para que a contribuição possa vir de qualquer lugar.

Esse é o valor de uma cesta, mas pode ser depositado qualquer outro valor em dinheiro, menor ou maior. Quem ainda quiser fazer doações de mantimentos pode levar o insumo na rua Anchieta, 1.007. "Leite por exemplo não vem nesta cesta, se a gente tiver podemos reforçar a cesta."

Além da doação do público a live vai contar com a ajuda de diferentes empresas que se engajaram ao evento. Parceiros que foram importantíssimos neste momento. A transmissão será apresentada pela Ecosul e tem patrocínio de Marcos Otero Imóveis, Construtora Roberto Ferreira, Supermercado Guanabara, Mauro Motta Seguros e Vetorial Internet. Apoios: Laboratório Antonello, Café 35, Pane Mio, Unique Pelotas, Anteparo, Mário Quintana, Macro atacado Treichel e Gerasom.

Atrações da festa

Nesta celebração de amanhã estão confirmadas participações, partir de vídeos gravados e entradas ao vivo, de artistas e grupos que muito vezes estiveram no palco do Theatro Guarany, como Joca Martins, Kleiton e Kledir, Vitor Ramil e Sovaco de Cobra, representando a música, além do Grupo Ballet de Pelotas, da Escola de Ballet Dicléa Ferreira de Souza, e do bailarino e professor Leandro Pisani. O coreógrafo Daniel Amaro, parceiro na construção do evento, será o âncora da live.

A bailarina e professora Daniela de Souza, filha de Dicléa lembra que o Thetaro Guarany é de extrema importância para a Cultura de Pelotas, porque lá circulam grandes espetáculos de teatro, dança, música e antigamente tinha até cinema. "Eu praticamente me criei dentro do Guarany. Como contava o saudoso Bino, antigo funcionário do Teatro: 'esta aqui vinha no carrinho para o theatro e ficava na coxia durante os ensaios".

Neste ano a escola que completa 61 anos e pelo menos por 58 deles realizou espetáculos nesta casa. "Nós da escola, sentimos e vemos o Guarany como nossa segunda casa. É um espaço mágico, onde artista e público trocam grandes emoções, que possamos logo voltar a sentir aquele frio na barriga quando a cortina se abre e o calor da plateia."

Serviço

O quê: live solidária 100 anos do Theatro Guarany em favor da ong Corrente Beija-flor

Quando: nesta sexta-feira (30), às 20h

Onde: Facebook do Theatro e do Diário Popular

Doações via Pix: 620.909.760-04 (CPF)
Banco do Brasil - Agência 2942-4
Conta corrente 138768-5
Gisele Mendes Miura


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados