Fonográfico

Uilson Paiva lança o vinil Saber dizer

Músico gaúcho reapresenta álbum lançado no final de 2019 agora no formato LP

13 de Janeiro de 2021 - 12h03 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Disco pode ser encontrado nas redes sociais do artista

Disco pode ser encontrado nas redes sociais do artista

Uilson Paiva lançou o CD no final de 2019

Uilson Paiva lançou o CD no final de 2019

Depois de lançar seu primeiro álbum, no final de 2019, o músico Uilson Paiva apresenta neste mês ao seu público a versão em vinil de Saber dizer. O disco é uma edição limitada, num LP com 12 faixas em vinil preto (180 gramas, 12 polegadas, 33 1/3 RPM). O trabalho autoral também está disponível em todas as plataformas digitais e na versão CD.

Para o músico gaúcho apresentar um vinil ao público é a realização de um sonho e um fechamento perfeito para o seu álbum de estreia. "Para quem foi formado na geração dos LPs, como eu, há toda uma experiência de sonoridade e fruição da música que só o vinil consegue proporcionar."

O long play, fabricado em São Paulo pela Vinil Brasil, tem encarte duplo colorido, concepção gráfica do designer catarinense Luiz Acácio de Souza. A foto da capa, de Nauro Júnior, retrata Paiva no icônico interior do Mercado Central de Pelotas.

O interior do álbum traz as letras das 12 faixas autorais, com fotos realizadas no casario histórico do município por Nauro Jr. A produção musical é de Juninho Betim. O vinil e o CD estão à venda pelo site http://uilsonpaivamusico.com.br/ ou pelo Instagram do artista @uilsonpaivamusico.

Para o músico o consumo da música o consumo da música vinil passa por questões bem pessoais. "Vai ter gente que vai dizer que a questão é da sonoridade, da frequência da nota musical e o vinil propicia isso de uma forma muito mais rica do que uma gravação em CD. Mas algumas referências são culturais", diz.

O próprio músico é um consumidor vinis, mesmo utilizando as plataformas digitais, ele não abre mão do que descreve como prazer em colocar um disco para tocar. Paiva também lembra que os LPs costumam trazer belas capas e encartes espetaculares.

E foi essa experiência que ele tentou passar para o público que vai consumir o álbum Saber dizer neste formato. "É um processo bem artesanal é para quem curte música em vinil", diz.

O disco lançado no final de 2019 era para ter sido explorado ao vivo durante o 2020, mas a pandemia de covid-19 fez com que shows fossem cancelados. "O mercado inteiro da música sofreu com isso. O jeito foi se reinventar", comentou, que paralelamente começou a trabalhar as novas produções. "Tive um período para trabalhar outras composições e devo lançar um single agora em fevereiro."

Sol e black music

Paiva é natural de Canguçu, mas aos seis anos foi com a família morar em Pelotas, cidade que ele deixou já adulto. Atualmente o músico mora no Paraná, onde desenvolve a vida artística como guitarrista e compositor.

O músico assina todas as canções do disco, individualmente ou com parceiros. O álbum traz como destaque a faixa Saber dizer que, assim como O meu amor contigo e A noite ela passa, bebe na fonte da black music e do soul brasileiro de Cassiano, Hyldon e Tim Maia. A influência da música negra se faz presente nos blues Outono blues e Flores mortas. O lado A se encerra com a milonga Sul e mar.

Cenário perfeito abre o lado B do vinil com seu beat solar conduzido pela levada de baixo, seguido pelo rock Quando você chega e pela balada Marionete. Once In your life traz loopings vocais em inspirado arranjo gospel. O samba Garras traz arranjo precioso de sopros a la gafieira. O álbum se encerra com Noite cinza, composta pelo artista a partir das influências de samba-canção recebidas de seu pai, o seresteiro canguçuense Paulo "Peixe" Paiva, já falecido. A tecnologia une as vozes de pai e filho numa serenata imaginária.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados