Auxílio

Trabalhadores da cultura ainda aguardam editais

Secult anunciou volta do Sete ao Entardecer e bolsas de pesquisa, mas ainda não fez os lançamentos

16 de Abril de 2020 - 10h45 Corrigir A + A -
Órgão ainda estuda melhor formatação das ações (Foto: Infocenter DP)

Órgão ainda estuda melhor formatação das ações (Foto: Infocenter DP)

Próximo de completar um mês do decreto municipal que vedou a realização de shows, espetáculos e demais eventos em Pelotas, os dois editais que a Secretaria Municipal de Cultura (Secult) havia anunciado para auxiliar trabalhadores do setor ainda não foram lançados. Concomitantemente, agentes culturais lançaram essa semana uma petição pública pedindo a liberação dos recursos referentes ao Procultura 2019 e ao Funpatri.

O decreto nº 6.251 foi estabelecido no dia 19 de março. No dia 23, a Secult emitiu nota em que sinalizava a viabilidade de lançar dois editais para reaquecer a economia criativa na cidade: o Sete ao Entardecer, para apresentações dos mais diversos seguimentos via internet, e bolsas de pesquisa em criação artística. As ideias foram discutidas junto ao Conselho Municipal de Cultura e, a partir de então, passou-se a pensar conjuntamente no melhor formato. Entretanto, 24 dias após o anúncio, ainda não foi divulgado quando as ações se tornarão realidade e nem o valor a ser disponibilizado.

Ao Diário Popular, o Secretário de Cultura, Giorgio Ronna, disse que a intenção é dar a maior agilidade possível ao processo, mas pregou meticulosidade em cada etapa. "Esse momento de máxima seriedade na luta contra o novo coronavírus ainda não nos permite estabelecer uma projeção orçamentária para a execução das novas ações, mas isso foi discutido e anunciado pela Prefeita Paula Mascarenhas na sua divulgação do Pacote de Medidas Mitigatórias e assim que tivermos os primeiros valores disponíveis levaremos ao Conselho para acordarmos na melhor formatação dos editais."

Representante da UFPel, que atualmente preside o Conselho Municipal de Cultura (Concult), o professor Fernando Igansi afirmou também à reportagem que o órgão avalia como oportunos os encaminhamentos previstos para liberação de recursos até o momento. "Compreendemos que a regra, dentro desse contexto de combate à pandemia da Covid-19, é reunir esforços, agir colaborativamente e, dentro do possível, com ações práticas e imediatas. Defendemos que a saúde é prioritária sempre e a cultura também.", disse.

Procultura e Funpatri

Nos últimos dias, ganhou força junto à comunidade cultural um campanha para que a verba pertencente ao Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Procutura), no total de R$ 600 mil já aprovados, sejam liberados com urgência para uso emergencial de artistas, artesãos e produtores culturais da cidade. Terça-feira (14), uma carta com 80 assinaturas foi encaminhada à Secult com este pedido, entre outros como a não-exigência de planilhas orçamentárias nos próximos editais e a distribuição do montante para a maior quantidade possível de trabalhadores.

O ex-presidente do Concult, e atual membro do órgão, o historiador Daniel Barbier, disse ao Diário Popular que o projeto ganhou corpo, com mais de cem agentes culturais participando de um fórum virtual. O grupo lançou uma petição pública pedindo que seja liberado não apenas a verba do Procultura, mas também do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural de Pelotas (Funpatri), pouco mais de R$ 1,2 milhão. O valor, de acordo com o grupo, seria destinado para qualificação do sistema público de saúde do município, em especial na compra de ventiladores pulmonares e EPI para equipe hospitalares.
Ao Diário Popular, o secretário Giorgio Ronna afirmou que recebeu o documento e o enviará ao Concult para avaliação conjunta.

Doações entregues

Junto ao anúncio dos editais, a Secult afirmou no dia 19 que realizaria uma campanha solidária para a arrecadação de alimentos e itens de higiene para os trabalhadores do setor cultural. Até o momento, sete agentes procuraram o órgão buscando o auxílio. Segundo Ronna, graças à colaboração da comunidade, todos foram prontamente atendidos.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados