Livro

Teatro para ler e rir

Joice Lima reedita texto dramatúrgico Depois do happy ending, publicado em 2007

13 de Novembro de 2020 - 13h20 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Peça foi levada ao teatro pela Cia Pelotense de Repertório Teatral, sob direção de Flávio Dornelles (Foto: Laureano Bittencourt - Especial DP)

Peça foi levada ao teatro pela Cia Pelotense de Repertório Teatral, sob direção de Flávio Dornelles (Foto: Laureano Bittencourt - Especial DP)

Capa de Mariana Valente com ilustração de Maurício Vitar (Divulgação - DP)

Capa de Mariana Valente com ilustração de Maurício Vitar (Divulgação - DP)

Na nova edição, autora retirou as piadas politicamente incorretas (Foto: Laureano Bittencourt - Especial DP)

Na nova edição, autora retirou as piadas politicamente incorretas (Foto: Laureano Bittencourt - Especial DP)

O que haveria acontecido com as tradicionais princesas dos contos de fadas anos após o "final feliz" de suas histórias? Esse é o mote da comédia teatral adulta Depois do happy ending, de autoria de Joice Lima. Em edição atualizada, a peça mostra princesas que, apesar de tentar manter as aparências da "vida perfeita", acabam por revelar-se como pessoas comuns, que enfrentam rotinas do cotidiano, o estresse dos tempos atuais e sofrem as consequências do que ocorria em suas histórias originais.

Cinderela, por exemplo, que era explorada como faxineira pela madrasta e as irmãs, acabou por desenvolver um Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) por limpeza e, após tanto fuzuê em torno do sapatinho de cristal, ficou com uma tara por sapatos. Depois de dormir por cem anos, Bela Adormecida sofre de insônia e de uma terrível dor na coluna. Acostumados com Branca de Neve sempre cozinhando e arrumando a casa para eles, os Sete Anões se mudaram para o castelo dela e continuam esperando que Branca faça tudo para eles.

Única bem resolvida do quarteto, Chapeuzinho Vermelho se tornou investigadora e caçadora de pedófilos - no que depender dela, "o Lobo Mau foi o último safado filho-duma-mãe a comer criancinhas". Uma revelação bombástica de Chapeuzinho acaba por desencadear uma série de surpresas que dão uma reviravolta total à história, que aborda temas como o consumo desenfreado, o escravismo aos padrões de beleza, a preocupação com a opinião alheia, bulimia, alcoolismo, exploração, entre outros.

A reedição

A autora, que tem outros três romances publicados e está em fase de finalização do quarto, conta que decidiu reeditar a peça porque já não restava nenhum exemplar para venda. "Apesar de já terem passado mais de dez anos, foi uma peça muito assistida e ainda hoje tem gente que me pergunta do texto. Como vendi todos os exemplares que restavam em eventos do Coletivo Autores de Pelotas, em 2019, vinha alimentando a ideia de fazer uma nova tiragem, mas sabia que precisava revisar e também queria fazer uma capa nova", explica Joice.

A versão atualizada tem revisão pela nova ortografia e novas diagramação e capa, criada por Mariana Valente a partir de uma ilustração de Maurício Vilar. "Pensei em colocar uma princesa escabelada, com a coroa quebrada, e o Maurício concretizou a ideia nesse desenho incrível. Depois a Mari teve o insight, genial, de usar roxo e preto no design da capa, o que remete às bruxas presentes nas histórias. Fiquei muito feliz com o resultado", conta a autora.

Joice revela que o texto teve poucas alterações, "apenas as necessárias". "Hoje precisamos ser mais responsáveis com o que escrevemos. Felizmente algumas 'piadas', politicamente incorretas, não têm mais lugar", avalia.

O livro pode ser adquirido diretamente com a autora a R$ 15,00 o exemplar, pela página joicelimaescritora, no Facebook, ou pelo Whats (53)99987-5970. Em Pelotas, a entrega é gratuita.

Sinopse

Muitos anos após o "final feliz" de suas respectivas histórias, Cinderela recebe, na glamorosa sala de estar de seu castelo, as amigas Branca de Neve e Bela Adormecida, para um chá da tarde. É a chegada da quarta personagem, uma Chapeuzinho Vermelho contemporânea - que contrasta drasticamente com as clássicas princesas dos tradicionais contos de fadas - que dará uma sacudida na vida das amigas, trazendo à tona a realidade vivida por elas, nem tão perfeita quanto fazem parecer, obrigando-as a assumir seus problemas e a buscar soluções.

A encenação

A comédia estrou em outubro de 2007, pela Cia Pelotense de Repertório Teatral, sob direção de Flávio Dornelles. Em dois anos foram realizadas 18 apresentações em Pelotas, Rio Grande e Jaguarão. A peça participou do projeto Cena Literária e dos 2° e 3° Encontros de Teatro de Pelotas, promovidos pela Secretaria de Cultura/Prefeitura Municipal de Pelotas. Em 2009 foi destaque no 1° Cenadoce da Feira Nacional do Doce (Fenadoce), sendo selecionada para reapresentação no Theatro Sete de Abril, durante a Semana de Aniversário de Pelotas.

Elenco da montagem: Márcia Monks - Cinderela; Raquel Franz - Branca de Neve; Joice Lima (autora) - Bela Adormecida; três atrizes interpretaram Chapeuzinho Vermelho: Dany Mendiondo, Lívia Soares e Maureen Nogueira. Além de dirigir, Flávio Dornelles interpretou a personagem Charlotte, serviçal de Cinderela (sem falas).

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados