Patrimônio

Restauro do Sete de Abril tem data para começar

A vencedora da licitação, Construtora Biapó, de Goiânia, assinará contrato com a prefeitura sexta-feira (16); obra terá início dia 2 de setembro

14 de Agosto de 2019 - 19h30 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Teatro está fechado desde 2010 e a mais recente intervenção foi no telhado há cinco anos (Foto: Jô Folha - DP)

Teatro está fechado desde 2010 e a mais recente intervenção foi no telhado há cinco anos (Foto: Jô Folha - DP)

Quase cinco anos depois da finalização da obra no telhado, o Theatro Sete de Abril, fechado desde 2010, voltará a ser aberto para o tão aguardado restauro completo. A obra está programada para começar dia 2 de setembro sob responsabilidade da Construtora Biapó Ltda., de Goiânia, vencedora do edital de licitação. O secretário de Cultura, Georgio Ronna, confirmou a informação na tarde desta quarta-feira (14). A assinatura do contrato ocorrerá sexta-feira (16) em cerimônia na prefeitura, às 10h30min.

A Biapó Ltda foi uma das quatro empresas candidatas, que se submeteram ao processo licitatório lançado no final do mês de março. A confirmação do nome da escolhida passou por período necessário de análises da procuradoria e de recursos, comentou o secretário em entrevista por telefone.

Ronna destacou que a Biapó tem excelente currículo e experiência de restauro em prédios históricos no país. Entre as obras que passaram pela construtora fundada em 1989 estão a Igreja de São Francisco na Pampulha, em Belo Horizonte, Santuário Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, e Mercado Municipal Adolpho Lisboa, em Manaus.

A proposta da construtora goianense de recuperação da estrutura do prédio foi em torno de R$300 mil menor que o teto estimado para essa etapa, previsto na licitação por R$ 6,383 milhões. Essa primeira fase tem tempo previsto de execução de 18 meses.

"É uma excelente notícia e uma feliz coincidência", diz Ronna ao lembrar que a formalização do contrato será feita no início da programação do Dia do Patrimônio em Pelotas, nesta sexta-feira. O secretário destaca o momento significativo para o patrimônio da cidade. "Neste momento temos a sinalização do paisagismo da praça Coronel Pedro Osório (fase final), que também é do PAC Cidades Históricas", comenta.

O secretário ainda lembrou a finalizada requalificação das salas expositivas da Secult, que já estão em funcionamento e do recente edital, lançado pela UFPel, para restauro do Grande Hotel. Na avaliação de Ronna, projetos que requalificam o centro histórico de Pelotas, que integra um conjunto de edificações tombado pelo Iphan em 2017 como patrimônio cultural brasileiro.

Primeiro a infraestrutura
Após a instalação do canteiro de obras, a Biapó dará início ao trabalho de infraestrutura no pátio dos fundos do teatro, como a construção de poços que serão os reservatórios de incêndio. Além deste procedimento, o local terá ainda prédio anexo em que ficará a subestação de energia, que abrigará os aparelhos de ar condicionado, por exemplo.

A arquiteta da prefeitura Paulina Vonlaer, fiscal do projeto de restauro, disse que são exigências do projeto de prevenção contra incêndios. Esta primeira etapa deve demorar de dois a três meses para ser concluída.

O restauro em si começará logo após o encerramento das obras estruturais. Entrarão nesta fase paredes, forros e pisos. "Começa no corpo de teatro", fala Paulina. Para fiscalizar o trabalho da contratada foram destacados os arquitetos Laura Zambrano e Fábio Caetano da Secretaria.

Segundo a arquiteta, cerca de seis meses após o início do restauro a Secult começará a movimentar a fase que contemplará os equipamentos do teatro. O que contemplará som, luz, poltronas e cortinas, entre outros.

Relembre
Inaugurado em 1833, o Theatro Sete de Abril é um dos palcos mais famosos do país e foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na década de 70 do século 20.

Em 2010 o local foi fechado para obras estruturais no telhado, restauro entregue em outubro de 2014. Em 2016, foi apresentado o projeto de restauração total, ficando à espera de recursos federais. O Iphan aprovou em dezembro de 2018 o orçamento e publicou, no Diário Oficial da União, o Termo de Compromisso firmado entre a União/Iphan e o município de Pelotas, o que possibilitou o encaminhamento da licitação.

Em dezembro do ano passado, o Iphan publicou termo de compromisso para a restauração do Theatro Sete de Abril. O extrato do documento foi divulgado no Diário Oficial da União (DOU). Desta forma o município foi autorizado a lançar a licitação para a execução da primeira parte da obra, estimada em R$ 7,8 milhões. O recurso, a fundo perdido do Ministério da Cidadania, sai via Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados