Projeção

Procultura volta este ano, afirma secretário

Segundo o secretário, Paulo Pedrozo, serão necessários ajustes no Programa para que possa ser lançado edital

22 de Janeiro de 2022 - 11h49 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Reabertura do Theatro Sete de Abril está nos planos para o segundo semestre (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Reabertura do Theatro Sete de Abril está nos planos para o segundo semestre (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Ter o Plano Municipal de Cultura aprovado pelos vereadores é a uma das principais metas da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) para este ano. A informação é do titular da pasta, Paulo Pedrozo, em entrevista à editoria de Cultura/Estilo do Diário Popular. Pelo WhatsApp o secretário respondeu questionamentos sobre as principais ações que envolvem, além desta temática, também o Procultura e o Theatro Sete de Abril.

Uma parte importante desses projetos passa pelo Plano Municipal de Cultura, que teve redação final aprovada durante a 4ª Conferência Municipal de Cultura, que ocorreu em dezembro. De acordo com a prefeitura, as propostas serão implementadas com o acompanhamento do Conselho Municipal de Cultura (Concult), o que dará andamento à legislação municipal Cultura Viva.

Sobre o Procultura, Pedrozo confirmou uma nova edição este ano. A Secult projeto que os valores empregados sejam os mesmos do edital anterior, com reposição gradual dos recursos não investidos em edições anteriores do programa. Para quem não lembra, o último edital foi lançado em 2019 e teve dotação orçamentária de R$ 607.000,00.

A seguir do Estilo publica a entrevista:

Diário Popular/Estilo - Secretário, de acordo com a prefeitura, este ano começa a ser implementado o Plano Municipal de Cultura, quais orientações serão executadas?

Paulo Pedrozo - O Plano Municipal de Cultura está estruturado com metas de curto, médio e longo prazo. Então, é nessa lógica que precisaremos trabalhar, buscando agir para atender os anseios da comunidade, cumprindo as metas. Mas, a primeira delas, é aprovar o Plano Municipal de Cultura de Pelotas junto ao Poder Legislativo.

DP/E - Uma das metas do PMC apontava para a necessidade de reestruturação da própria Secretaria de Cultura, incluindo a aquisição de um corpo técnico concursado e sugerindo o número de 12 cargos. Já está sendo gestada essa reestruturação?

PP - A Secult tem necessidade dessa reestruturação de profissionais, fato que tem sido apontado desde a primeira conferência de cultura realizada em 2006. Não é possível afirmar ainda quando teremos novo concurso público, mas o Município irá se ajustar para atender as necessidades com responsabilidade financeira, como também requer o Plano Municipal de Cultura.

DP/E - O plano reforçou os papéis do Fundo Municipal de Cultura e do Fundo de Patrimônio Histórico? Eles receberão repasses de verbas regularmente? O que precisa para que eles sejam devidamente implementados. Como eles podem ajudar a na elaboração de políticas públicas?

PP - Os fundos de Cultura e de Patrimônio Histórico são elementos essenciais para o desenvolvimento das políticas públicas para a área, pois permitem o financiamento de projetos culturais que fazem girar toda a cadeia produtiva do segmento, incentivam a criação e o pensamento, além da formação de público, por isso são tão importantes. Temos o Procultura, em funcionamento desde 2010, e o compromisso do governo municipal em criar o Pró-Memória, que foi apontado como meta a ser atendida no Plano. O Município irá trabalhar para que ele também seja implementado, mas a grande diferença é que o Pró-Memória financiará iniciativas vinculadas ao Patrimônio e a Memória.

DP/E - Este ano a cultura terá edital do Procultura? Tem-se ideia de qual valor vai ser financiado? Há previsão de outros editais de fomento?

PP - Teremos novo edital para o Procultura em 2022. O Conselho Municipal de Cultura (Concult) elaborou no ano passado uma recomendação para o funcionamento do Programa e estamos estudando os ajustes necessários e possíveis, para lançarmos edital. Porém, antes de lançarmos, ainda será necessário ajustar a contratação de um banco de parcerias, apontado entre as recomendações do Concult. Também estamos criando uma Plataforma da Cultura, onde teremos em um único ambiente virtual o Mapa da Cultura, o Cadastro de Proponentes, a Plataforma Procultura, além de editais e divulgações culturais. Queremos que o Procultura, em 2022, já aconteça nessa nova ferramenta, destaca Pedrozo.

DP/E - Como está a fase de aquisição de equipamentos e climatização do Sete de Abril?

PP - Conforme e Diretoria do Theatro Sete de Abril, os equipamentos estão em fase de cotação de valores, acompanhando a formatação para a Lei de Incentivo a Cultura (LIC). O Theatro continuará com atividades remotas nos primeiros meses do ano e sua reabertura está prevista para julho, após a aquisição de mobiliário e equipamentos. Interessados em pré-agendamento para o segundo semestre podem enviar propostas para theatro.setedeabril@gmail.com.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados