Patrimônio

Prédio tombado passa por reparos emergenciais

Com proposta de novo uso aprovada pelo programa Iconicidades RS, antiga sede do Banco do Brasil deve ser requalificada no próximo ano

06 de Outubro de 2021 - 11h41 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Imóvel vai receber o Centro de Gastronomia Senac de Pelotas (Foto: Jô Folha - DP)

Imóvel vai receber o Centro de Gastronomia Senac de Pelotas (Foto: Jô Folha - DP)

Anunciada há dois meses, a requalificação e o futuro uso do antigo imóvel do Centro Histórico de Pelotas, que abrigou a Secretaria de Finanças e anteriormente foi sede do Banco do Brasil, devem acontecer no próximo ano. Porém a primeira etapa do processo que promete resgatar essa preciosidade da arquitetura eclética - a entrada no programa Iconicidades RS, promovido pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão - foi concluída com sucesso. Enquanto aguarda por um restauro completo, o prédio passa por ações de emergência.

A proposta da prefeitura de Pelotas foi classificada em primeiro lugar na primeira etapa do edital do Iconicidades. O programa visa tornar as cidades gaúchas mais empreendedoras, inovadoras e criativas, além de estimular a retomada e a revitalização de espaços arquitetônicos simbólicos para estabelecimento desses novos negócios.

Enquanto espera para ter em mãos o projeto de restauro, a prefeitura está promovendo uma ação emergencial para evitar mais danos ao prédio. O local que em 2019 passou por limpeza, agora passa por nova intervenção iniciada na semana passado. Dessa vez, além da retirada de animais como pombos e morcegos também serão feitos reparos no telhado.

A empresa Açoforte Construções Eireli, da cidade gaúcha de Sobradinho, venceu licitação e está executando o trabalho. De acordo com a arquiteta Liciane Almeida, da Gerência de Memória e Patrimônio da Secretaria de Cultura, esta ação não é um restauro. No ano passado foi desenvolvido, por outra empresa também vencedora de licitação, um projeto para estabilizar a cobertura, entrepisos e a cúpula que corriam risco de colapsar. "No início do ano abrimos certame para execução das obras e é o que está ocorrendo agora." O valor da obra, de R$208.481,07, é financiado pelo Fundo Municipal do Patrimônio.

O cronograma do projeto é de quatro meses de obras, porém a empresa executora informou à Secult que vai finalizar em aproximadamente 60 dias. Dessa forma a estabilização do prédio, como é chamado o processo, deve ser entregue até o final de novembro. Liciane explica que o entrepiso do último pavimento estava muito comprometido e que o forro todo desse setor foi removido. "Fizeram passarelas de madeira para poder tirar o outro madeiramento do telhado e a gente poder enxergar todas as rupturas do telhado para que possam ser consertadas", fala. Algumas placas do telhado também serão substituídas.

Outro trabalho importante, segundo a arquiteta, será o selamento de todas as esquadrias para evitar a entrada de animais. "As pombas que entravam batiam nas vidraças e quebravam e acabavam morando lá dentro. Isso é um dano muito grande ao prédio. Como será fechado por cima também, vamos resguardar a integridade do prédio. É uma ação bem emergencial para estancar o processo de degradação até que o projeto de restauro esteja pronto e possa ser executado."


Mais duas etapas

Dentro do Iconicidades, na próxima etapa cada um dos cinco municípios classificados terá sua proposta transformada em objeto de um concurso público de arquitetura, que convidará profissionais de todo o país a elaborar os projetos conceitual, executivo e de viabilidade para as intervenções necessárias às arquiteturas escolhidas. Essa seleção pública deve ser lançada em no máximo dois meses, segundo a Secretaria.

O imóvel pelotense, tombado a nível federal pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 2018, vai receber o Centro de Gastronomia Senac de Pelotas, projeto em parceria entre a prefeitura de Pelotas e o Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac. No local se prevê, de acordo a proposta enviada ao Iconicidades, a instalação de uma Cozinha Show, duas cozinhas pedagógicas, um auditório, um sommelier, um espaço Co-working Gastronômico e um ambiente de Serviços de Restaurante. O Centro de Gastronomia Senac ainda contará com uma infraestrutura para a formação de mão de obra qualificada na área da Gastronomia e espaço para a realização de eventos e oficinas, fomentando também o Turismo Gastronômico.

"A proposta é inovadora. Eles (prefeitura e Sesc) querem que a Associação das doceiras esteja lá, que tenha também o Memorial Do Sal ao Açúcar, querem ter a participação das Cooperativas de Agricultura Familiar e dos Quilombola com os produtos regionais ali. Vai ser um Centro de Gastronomia super qualificado", comenta o Diretor do Theatro Sete de Abril, Giorgio Ronna, que participou da construção do conceito. Em agosto, quando a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) divulgou a novidade, por meio de uma live, foi divulgada uma estimativa de custo em torno de R$10 a R$12 milhões. A prefeitura contribuirá com R$5 milhões e o restante do valor será completado pela Fecomércio.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados