Edital

Parceria de dez anos registrada em "doc"

Vídeo mostra trabalho em conjunto entre o produtor cultural Mano Val Robe e o rapper Zudizilla

29 de Outubro de 2020 - 10h13 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Primeiro LP de rap de Pelotas resulta dessa parceria  (Foto: Divulgação - DP)

Primeiro LP de rap de Pelotas resulta dessa parceria (Foto: Divulgação - DP)

Documentário pode ser visto pelo Youtube (Foto: Divulgação - DP)

Documentário pode ser visto pelo Youtube (Foto: Divulgação - DP)

Está disponível pelo Youtube o mini documentário Rap e Produção Cultural, uma conexão possível e necessária, produção audiovisual da Mundo Atlântico Filmes que traz o depoimento do produtor cultural Mano Val Robe sobre a parceria de uma década com o rapper Zudizilla. O projeto foi financiado pelo edital FAC Digital RS, lançado em junho pela Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com o Pró-Cultura RS/FAC (Fundo de Apoio à Cultura) e a Universidade Feevale, por meio do Feevale Techpark.

O tema central do vídeo, de pouco mais de 28 minutos, é a relação entre o rap e a produção cultural alicerçado na experiência frutífera de Robe e Zudizilla, considerado hoje como o principal nome entre os gaúchos na cena rap do país. A partir de 2010, essa parceria essa que produziu, entre outras ações, dois discos Luz e Faça e coisa certa. "Tivemos muitas conquistas, algumas simbólicas, mas significativas", fala Mano Val.

Entre essas vitórias está o lançamento do primeiro vinil de rap de Pelotas, o Faça a coisa certa. Que resultou no primeiro show de rap no Theatro São Pedro, em Porto Alegre. A própria projeção nacional do rapper entra na soma deste trabalho em conjunto.

"O mini doc permite contar um pouco dessa história", fala. Robe diz que o trabalho do produtor é dar o suporte necessário para que o artista se preocupe mais com a própria arte. Questões como viabilizar estruturas para prensagem ou mixagem de um disco, por exemplo, ou pensar um caminho para a sua arte, uma agenda de shows, tornam-se menos problemáticas quando, se possível, o artista as divide com um produtor cultural.

Resgate cronológico

O registro em vídeo, com direção de Alexandre Mattos, da trajetória de Robe na produção cultural, traz ele contando um pouco do início do envolvimento com o setor cultural quando ainda era universitário em 2004. Só cinco anos depois, Robe voltou à coordenação de um movimento nessa área, daquela vez pelo Procultura.
"O minidoc permitiu fazer um resgate dessa cronologia da minha relação com a produção cultural, que tem um viés de movimento e um viés privado que é eu ser sócio do Galpão Satolep, por exemplo", comenta.

Valdir Robe Júnior, o Mano Val, é ainda mestre em Sociologia e sócio proprietário do Galpão Satolep e participa da produção de outros eventos, como Sofá na Rua, além de integrar os pontos de Cultura Paralelo 33 e Outro Sul. Robe ainda faz trabalhos com o DJ Micha, tem um projeto de hip hop na escola Ferreira Viana há três anos, junto com Guido CNR, Jair Brown e Betinho.

Atuando na cena rap pelotense, Robe viu o estilo crescer muito na forma como se organiza hoje. "Ele (o rap) sempre foi muito potente quanto cultura hip hop. Não é clichê dizer que o rap salva vidas, há muitos anos ele vem fazendo isso."

Como exemplo desse amadurecer do movimento, o produtor aponta os editais que os integrantes do hip hop conseguem aprovar. "Isso através da sua organização e qualificação, que é muito maior que há dez anos. Também os espaços que rap hoje atinge. Em termos de mercado ele é muito mais forte. Isso é um trabalho que vem sendo feito por muitos agentes. Eu me considero um colaborador nesse sentido, porque eu não venho do hip hop."

Serviço

O quê: lançamento do minidoc Rap e Produção Cultural, uma conexão possível e necessária

Onde: Youtube (https://bit.ly/3kCTPzT)

Produzido por Mundo Atlântico Filmes

Direção e imagens: Alexandre Mattos Meireles

Edição: Renata Wotter e Alexandre Mattos

Som direto e imagens: Davi Batuka

Design: Guile Farias


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados