Mês da Mulher

Médica de Pelotas é homenageada em Bauru

Gastroenterologista foi pioneira em São Paulo, ao se tornar a primeira mulher presidente da Unimed, no estado

28 de Março de 2020 - 17h48 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Eliane foi incentivada pelo marido a fazer Medicina (Foto: Arquivo Pessoal/Especial DP)

Eliane foi incentivada pelo marido a fazer Medicina (Foto: Arquivo Pessoal/Especial DP)

Neste mês de março, dedicado às mulheres, uma pelotense ganhou destaque na cidade de Bauru, no centro-oeste paulista. A médica Eliane Fetter Telles Nunes foi uma das homenageadas na fanpage da empresa Omnigráfica, a qual destacou a trajetória de pioneirismo da gastroenterologista que dedicou boa parte da carreira às áreas administrativas da saúde.

O proprietário da Omnigráfica, Antônio Alliberty de Castro, explica que o objetivo é destacar mulheres que são exemplos na comunidade. "São supermulheres. Quanto mais nós tivermos pessoas que fazem mais e criticam menos, a gente só melhora", argumenta.

As homenagens começaram dia 8 deste mês, dentro da programação de aniversário da empresa, que completa 60 anos. Desde então, está sendo destacada diariamente uma figura feminina que contribui para a construção de uma sociedade melhor.

Começo no município

Filha do engenheiro agrônomo, agropecuarista e cotista da Gráfica Diário Popular Adolpho Antonio Fetter (1927-2002) e da orizicultora pelotense Olenka Motta Fetter, falecida em 2017, Eliane começou a vida profissional no curso de Normalista do Instituto Assis Brasil. Logo a seguir, incentivada pelo namorado, entrou para a Faculdade de Medicina da Universidade Católica de Pelotas.

Casada aos 18 anos, foi com o marido Antônio Carlos Telles Nunes para o Rio de Janeiro, onde ambos fizeram residência médica. Eliane se especializou em Gastroenterologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, na década de 1970.

Ao longo da carreira, atuou nas áreas administrativas da Medicina, o que a motivou a fazer especializações em Saúde Pública, Administração dos Serviços de Saúde e Administração Hospitalar, e aperfeiçoamento em Gestão Empresarial Avançada - pela Fundação Armando Álvares Penteado. "Sempre fui muito curiosa e gostava de estudar."

Já em Bauru, ela se tornou a primeira mulher do estado de São Paulo a ser presidente de uma Unimed, na década de 1990. Na época, eram 50 unidades, 49 delas presididas por homens. "São poucas as mulheres, até hoje na presidência predominam os homens", comenta a médica.

Coube à doutora Eliane ajudar a expandir a Unimed para outras cidades da região. "Ajudamos as cooperativas-irmãs a serem fundadas. Tive de aprender muita coisa", conta.

A médica enfrentou uma dura batalha que foi convencer os médicos a construírem um hospital da Unimed em Bauru.

O trabalho levou um ano, mas foi executado com sucesso e hoje é um centro de referência. Concomitantemente, trabalhava como médica em ambulatório pelo Sistema Único de Saúde (SUS), onde começou em 1987 e permaneceu até se aposentar pelo Ministério da Saúde, em 2003.

Assim que se desvinculou do trabalho no governo federal, foi convidada para ser assessora da área de planejamento no governo do estado. Antes, atuou como secretária de Saúde do município de Bauru. "Então, eu trabalhei na minha vida médica nos três níveis de atendimento: municipal, estadual e federal", conta.

Foi, ainda, titular do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo, representando 38 cidades da região onde está localizado o município de Bauru. Daquela época, Eliane lembra que ocorriam reuniões mensais com todos os conselheiros e que o papel deles era ajudar os pequenos municípios a se organizarem. "Pela experiência que já tinha como secretária, tentava levar para eles como se podia otimizar o atendimento, as novidades, onde podiam acessar verbas, como tinham de fazer um projeto para pedir a verba, além de levar para o Conselho reivindicações", comenta.

Em meio a diferentes atividades, teve tempo ainda para se candidatar a vereadora e deputada estadual. "Foi uma experiência boa, porque tive bastante contato com a comunidade."

Família

Na vida familiar, Eliane, de 68 anos, teve três filhos, Daniela, André e Rafael, e cinco netos, Júlia, 20, Antônia,12, Matheus, 11, Lucas, 7, e Gabriel, 5. "São os meus tesouros." A médica também é irmã do engenheiro agrônomo, ex-deputado federal e ex-prefeito Fetter Júnior.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados