Esperança

Inspiração para os novos dias

Gujo Teixeira e Aluísio Rockembach lançam clipe com música inédita nesta segunda-feira

20 de Abril de 2020 - 20h22 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Unidos no vídeo, cada músico gravou na sua própria casa e o jornalista Leandro Lopes uniu as imagens para o videoclipe (Foto: Reprodução)

Unidos no vídeo, cada músico gravou na sua própria casa e o jornalista Leandro Lopes uniu as imagens para o videoclipe (Foto: Reprodução)

Angústia e ansiedade não são os únicos sentimentos que resumem esse período de incertezas provocadas pela ameaça mundial à saúde, que vem do novo coronavírus. Esse pode ser também um período propício à reflexão e à esperança. É o que imaginou músico e compositor Gujo Teixeira ao escrever o poema Depois que isso passar. Estes versos inspiraram o compositor e instrumentista Aluísio Rockembach a compor uma melodia. O resultado foi o nascimento de uma parceria inédita, que pode ser vista em um vídeo que, junto com outros artistas, eles produziram. O lançamento ocorreu às 20h desta segunda-feira (20) no site e nas redes sociais de Rockembach.

Rockembach conta que viu o poema no Instagram de Teixeira e se encantou. A primeira reação foi fazer um comentário na postagem dizendo que os versos dariam uma música. Foi o que bastou para o início da parceria. "Ele é um grande poeta", elogia o acordeonista.

O instrumentista fez a melodia e, rapidamente, reuniu outros músicos que, cada um na sua casa, gravaram sua parte na melodia. "Foi tudo muito natural", diz.

Aluísio Rockembach interpreta a letra e toca acordeom. Junto com ele estão os músicos Davi Batuka (percussão), Luciano Fagundes (violão, violão de aço, guitarrón e baixo) e Pablo Bember (violino). O clipe, com edição do jornalista Leandro Lopes, ainda destaca a imagem de Guxo Teixeira escrevendo o poema.

Depois que isso passar não aborda o momento atual, mas como as pessoas vão lidar com o futuro. "Como vamos ficar daqui pra frente, como tudo isso vai fazer diferença na sua vida", aponta Gujo.

Para Rockembach, quem trabalha com arte tenta de alguma maneira ajudar na reflexão dos acontecimentos e também levar uma mensagem positiva. "A música está presente em qualquer momento da nossa vida."

Admirador dos ritmos uruguaios, o instrumentista foi buscar no candombe a inspiração para o ritmo da composição.

Como conselhos

Em casa por esses dias e longe dos palcos, Gujo Teixeira diz que tem aproveitado o tempo, um pouco mais livre, para compor. O músico, que tem uma propriedade rural em Lavras do Sul, conta que no município a situação está mais tranquila, mas vendo o que acontece além fronteiras se preocupa. “Nos assusta um pouco”, falou ao Diário Popular, via WhatsApp. O poema é um de uma série de cinco sobre o mesmo tema. Os versos surgiram do desejo do artista em mandar aos amigos palavras de conforto para alma. Como se fossem conselhos.

A ideia é refletir sobre o que acontecerá depois, quando a situação ficar mais calma. Em um dos trechos ele aconselha: “Seja humilde como agora”. Para o artista tanto desassossego não pode ser em vão.

Os poemas começaram a ser publicados no início de abril e ele não espera esse retorno tão rápido. “Daí o Aluísio viu um e pediu pra musicar. Achei demais. Pois pode chegar em mais lugares essa ideia”, argumenta.

Para o músico uma das lições que fica é que sempre se pode fazer diferente, mesmo quando não se acredita nessa possibilidade. “Andamos correndo demais sem saber pra onde ir. Sempre correndo atrás de algo”, reflete o poeta.

Para Gujo, é tempo de repensar. É o momento de aproveitar esse período de convivência maior com a família e os filhos. “Temos tempo até para pensar no que andamos fazendo, o que já fizemos e o que devemos fazer daqui pra frente.”

Confira a produção:


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados