Música

Imersão no universo da gaita

Exposição interativa A Fantástica Fábrica de Gaiteiros abre para visitação nesta quinta-feira

09 de Junho de 2022 - 09h15 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Exposição tem elementos interativos e táteis, facilitando a acessibilidade (Foto: Marcelo Donadussi - Especial DP)

Exposição tem elementos interativos e táteis, facilitando a acessibilidade (Foto: Marcelo Donadussi - Especial DP)

Chega a Pelotas A Fantástica Fábrica de Gaiteiros, a exposição itinerante que traz ao município um pouco da história da gaita de oito baixos e também da Fábrica de Gaiteiros, projeto criado pelo músico gaúcho Renato Borghetti, que envolve desde a fabricação até o ensino deste instrumento para jovens de sete a 15 anos. A exibição, montada na Sala Frederico Trebbi, saguão da prefeitura, pode ser visitada a partir desta quinta-feira (9) até o dia 24 deste mês, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. Realização Ministério do Turismo e Instituto Renato Borghetti de Cultura e Música.

Essa é uma iniciativa do Instituto Renato Borghetti de Cultura e Música, que através do projeto Fábrica de Gaiteiros desenvolve um trabalho social de educação musical e resgate cultural. A arquiteta Emily Borghetti, responsável pelo desenho da exposição, explica que a ideia é expor um pouco do que é desenvolvido na Fábrica. "A exposição foi montada para o público entender como se fabrica uma gaita", diz. Mas além do processo artesanal, a mostra convida os visitantes para conhecer também a história da gaita de oito baixos, seu som, quem tocou ou toca, entre outros detalhes sobre a vida do instrumento. "É um mergulho no universo da gaita", completa Emily.

A exposição surgiu antes da pandemia, mas foi interrompida e retomada este ano, a partir de um novo projeto aprovado em edital público. A itinerância se iniciou em Porto Alegre, na Casa de Cultura Mario Quintana, em março, seguindo para a cidade de Guaíba, no Vitrine Cultural, e agora traz a mostra para a comunidade pelotense. O projeto prevê ainda uma exposição virtual onde é possível conhecer a exposição física através dos recursos tecnológicos, acessar catálogo e conteúdos. A proposta tem patrocínio das empresas CMPC, Vero, TKE, John Deere, Dicave Volvo, Martinelli Advogados, Florense, Grupo Apisul, Litoral Madeiras, Benoit e Grupo Bugio.

Recepção aos visitantes

Na entrada da mostra um quarteto de bonecos de madeira articulados, recepcionam os visitantes. A visita é mediada e quem for a sala Frederico Trebbi encontrará, por exemplo, diferentes tipos de acordeon, um simulador de gaita e um experimento sonoro para ser manipulado, além de cada peça que compõe o instrumento. A mostra tem muitos objetos que podem ser tateáveis, o que a torna acessível a deficientes visuais, tornando-se também de grande ajuda para saciar a curiosidade de quem quer saber como é o mecanismo deste instrumento. A visitação por grupos de escolas devem ser agendadas com a Secretaria de Educação e Desporto (Smed).

Emily conta que a Fábrica surgiu porque num determinado momento ficou rara a fabricação deste instrumento no Rio Grande do Sul. Vendo que o acesso era muito restrito, Renato Borghetti percebeu que cada vez menos gaiteiros existiriam e projetou a possibilidade de se resgatar não só a gaita, como também o gosto pelo som do instrumento típico da cultura gaúcha.

A Fábrica, com sede em Barra do Ribeiro, não se destina a vender gaitas, pelo contrário, tudo o que é produzido vai parar nas mãos dos alunos do projeto social que hoje tem 16 unidades espalhadas pelo Estado e Santa Catarina. De acordo com Emily ainda este ano a meta é abrir novas unidades no Uruguai e na Argentina. "O objetivo é que as novas gerações se conectem com a música feita aqui e tentar manter a cultura gaúcha viva", diz Emily Borghetti.

Serviço

O quê: exposição A fantástica Fábrica de Gaiteiros

Quando: a partir de quinta-feira (9) até o dia 24 deste mês, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h

Onde: Sala Frederico Trebbi, no saguão do Paço Municipal, praça Coronel Pedro Osório, 101

Agendamento para escolas: via Smed

Entrada franca

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados