Pandemia

Hora de buscar conhecimento e se prevenir

Combate ao novo coronavírus passa pela adesão das comunidades que precisam seguir os protocolos instituídos pelas autoridades em saúde

22 de Março de 2020 - 11h12 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Preocupação do momento, a contaminação pelo novo coronavírus ganha a cada dia novas ações para se conter a pandemia. No Brasil, a chegada do outono, na sexta-feira (20), pede que os cuidados sejam intensificados. Diminuir a velocidade do contágio é a ordem. Para isso foram criados protocolos instituídos pelas autoridades em saúde, que devem ser seguidos por todos. Para além deles, cada um conta com o seu sistema imunológico para enfrentar a Covid-19, doença que ainda não tem tratamento específico nem vacina.

O que se tem certeza é que a Covid-19 advém de um vírus detectado primeiramente na cidade de Wuhan, na China, em dezembro passado. Do Oriente para o Ocidente bastou pouco mais de um mês para que ele chegasse a diferentes países.

O vírus ataca indiscriminadamente, mas tem sido mais perigoso para pessoas com idades acima dos 60 anos e para as que possuem doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, entre outras. O problema é que ele provoca uma infecção viral respiratória que afeta os pulmões, causando pneumonia.

Para o geriatra Waldemar Hillal Barboza, em termos de prevenção, a principal atitude ainda é o isolamento, especialmente para as pessoas que correm mais risco de morte. "É preciso um rigor sanitário contra tudo isso", fala.

O geriatra chama a atenção para a necessidade da vacinação contra a Influenza, programa antecipado pelo governo federal para começar nesta segunda-feira (23). Como no início esta virose leva o paciente a apresentar quadro semelhante ao de uma gripe comum, quanto mais pessoas vacinadas, mais objetivo será o diagnóstico. "Ajuda a descartar outras doenças. Facilita a conduta", avalia o médico.

Como trata de pessoas idosas, Barboza recomenda que se o paciente estiver suspeitando que esteja com esse vírus, ele deve falar com o médico para solicitar o exame a domicílio. O melhor é ficar em casa e evitar as salas de emergência dos prontos-socorros, ir para o hospital somente quando tiver dificuldade para respirar.

Em casa, o maior cuidado é manter a higienização com água e sabão corretamente. "É fundamental a higiene das mãos." O médico também não recomenda o uso de máscaras indiscriminadamente.

Além da conduta com o exterior, é necessário cuidar do corpo internamente, reforçando o sistema imunológico e cuidando de se manter longe da depressão. Colocar-se em recolhimento não significa solidão e tristeza. "Temos que manter a boa nutrição, o prato multicolorido, a boa hidratação, dormir bem, fazer repouso e cuidar de outros aspectos da alma, da espiritualidade e do lazer."

Construção diária

Em consonância com os conselhos do geriatra, o clínico geral pós-graduado em Nutrologia, Álvaro Louzada, da Clínica Holos, diz que é possível aumentar a imunidade com uma alimentação variada e colorida. Atitudes necessárias para fortalecer o organismo, especialmente agora quando o Sul do país enfrenta a chegada do outono e a aproximação do inverno.

Louzada explica que o sistema imunológico são células ou tecidos que agem contra qualquer substância estranha que entre no organismo, que pode ser uma bactéria, um vírus, um fungo ou algo ingerido. "É nossa obrigação manter o nosso sistema imunológico alerta, para isso precisamos dar matéria-prima para o corpo e reforçá-lo."

Mas o médico alerta que fortalecer o sistema imunológico não é de uma hora para outra, é um trabalho construído todo dia. "Poderíamos falar de suplementos caros, mas eu prefiro dar dicas para o dia a dia. Essas dicas são basicamente alimentares e de hábitos", diz.

A primeira dica do nutrólogo é o aumento da ingesta de frutas, legumes e verduras, aproximadamente 1,5 quilo por dia. No caso das frutas, ele indica o consumo de pequenas porções em dois ou três momentos do dia. As ricas em vitamina C devem constar nesta lista.

A vitamina C também pode ser encontrada nos vegetais verdes-escuros. "Se quiser suplementar, 1 grama ou 1,5 grama por dia."

Alho e cebola têm de estar nessa dieta. "O alho tem substâncias que estimulam o nosso sistema imunológico. Até se necessário existem cápsulas de alho."

Também amigas do sistema imunológico, o própolis e a geleia real são considerados pelo especialista presentes das abelhas. Estas substâncias têm propriedades antibacterianas e antivirais. Quando devem ser consumidas? Sempre.

"O própolis, de 15 a 20 gotas por dia e a geleia real, de 1 a 2 gramas por dia", aconselha. "Eu tenho como rotina colocar umas gotinhas de própolis na água ou no chá", conta.

De um modo geral, o nutrólogo percebe nos seus pacientes o que ele chama de monotonia alimentar. "É sempre o mesmo café da manhã, o mesmo almoço. A mensagem que fica aqui é riqueza alimentar, não é gastar mais nem comer demais, mas sim é diversificar", argumenta.

Manter a imunidade em alta é um processo contínuo que exige também outros cuidados. O médico chama a atenção para hábitos ruins, como a restrição ao sono, ou seja, dormir pouco.

Ter um sono de má qualidade aumenta o cortisol, o hormônio do estresse, no sangue. "Menos de seis horas por dia é um desastre, o sono é reparador."

Zinco e selênio também não podem faltar nesta composição. Eles são aliados do sistema imunológico e estão presentes em castanhas e feijões, por exemplo. "Tem muita gente com deficiência."

Outro elemento que está deficiente em muitos organismos é a vitamina D. Para o médico, ela é uma das mais importantes e pode ser obtida facilmente com a exposição ao sol, de 15 a 20 minutos, sem protetor solar. "Vários estudos mostram que a deficiência de vitamina D aumenta em quatro a cinco vezes a chance de se ter um resfriado."

Tira dúvidas

Ao caderno Estilo a equipe de profissionais da Comissão de Controle de Infecções Hospitalares do Hospital-Escola da Universidade Federal de Pelotas (CCIH/HE/UFPel) responde algumas das dúvidas recorrentes sobre a contaminação pelo novo coronavírus.

Estilo - Como o coronavírus atua no organismo?

CCIH/HE/UFPel - O vírus se apresenta com sintomas respiratórios semelhantes a uma gripe comum. Para a maior parte dos infectados a doença cursa de forma leve a moderada, em que o doente apresenta febre, tosse. Alguns pacientes podem apresentar congestão nasal, coriza, dor de garganta ou até mesmo diarreia. Em torno de 5% dos pacientes acabam necessitando de cuidados intensivos, incluindo ventilação mecânica. Estes pacientes que acabam complicando são em sua grande maioria considerados como grupo de risco (acima de 60 anos, com comorbidades prévias, crianças, gestantes e imunodeprimidos), por isto é tão importante proteger estas pessoas.

Estilo - Por que se fala tanto em higienização de pisos e paredes?

CCIH/HE/UFPel - As medidas de higiene são fundamentais para conter a disseminação do vírus. Tanto de higiene do ambiente, que compreende a higiene de pisos e paredes, maçanetas, interruptores de energia e mobiliários, quanto as medidas de higiene pessoal de cada um, sendo a principal delas a etiqueta respiratória e a higienização frequente das mãos.

Estilo - Ele se mantém vivo por quanto tempo em superfícies?

CCIH/HE/UFPel - Por tratar-se de um patógeno pouco conhecido, ainda não há consenso, alguns estudos apontaram que o vírus pode se manter viável em superfícies inanimadas por até três dias. E no ar? O coronavírus-19 tem peso superior a 5µ e portanto sua transmissão se dá por gotículas, ou seja, o vírus pode ser projetado a uma distância de um a dois metros. Por isto a importância de mantermos o distanciamento entre as pessoas e a manutenção de ambientes arejados.

Estilo - Por meio de espirros e tosse ele pode atingir pessoas a quantos metros?

CCIH/HE/UFPel - Conforme dito anteriormente, ao tossir ou espirrar o vírus poderá ser projetado por um a dois metros. Por isso a importância da etiqueta respiratória, o uso de lenço de papel que deverá ser descartado após o espirro e a tosse, e a higiene de mãos na sequência.

Estilo - Respiração normal próxima de alguém pode levar ao contágio?

CCIH/HE/UFPel - Sim. Há risco de expelir gotículas que são suficientes para infectar.

Estilo - A higienização de mãos e superfícies ainda é o melhor método de prevenção?

CCIH/HE/UFPel - A melhor estratégia é manter o isolamento social para diminuir a circulação do vírus aliado ao reforço na higienização de mãos e superfícies. Assim como manter os ambientes arejados.

Estilo - Em caso em que não existam pessoas sob suspeita, é necessário separar objetos de uso, como talheres, copos, entre outros?
CCIH/HE/UFPel - Neste momento o compartilhamento de objetos e bebidas é desaconselhado. Sabemos que a Covid-19, a exemplo de outras viroses, passa por um período de latência em que o paciente não apresenta sintomas, portanto é importante que tomemos todas as medidas de prevenção.

Estilo - Existem alternativas ao álcool gel?

CCIH/HE/UFPel - A higienização das mãos com água e sabão bem realizada é eficaz para inativação do vírus.

Estilo - O isolamento que está sendo recomendado é adequado?

CCIH/HE/UFPel - Sim. Precisamos do isolamento social para diminuirmos a circulação do vírus e assim evitarmos um pico de atendimento que levaria os serviços de saúde a um colapso. Por isso é importante reforçar a comunidade em geral que fique em seus domicílios, e saia apenas o necessário, evitando a exposição.

Estilo - A circulação do vírus no país deve diminuir? Quando?

CCIH/HE/UFPel - Ainda é prematuro responder a este respeito, mas a exemplo do que tem acontecido mundialmente sabemos que possivelmente passaremos por um período crítico com tendência a estabilização da doença no curso do tempo. Temos interferentes como fatores climáticos, hábitos culturais, e estrutura de saneamento básico que dificultam a exatidão na previsão.

Para fortalecer o sistema imunológico

Alimentação

- Ingerir diariamente de 1 kg a 1,5 kg de legumes, verduras e frutas.
- O prato deve ser colorido
- Variar as refeições durante a semana
- Ingerir duas a três porções de frutas por dia
- Manter na alimentação vegetais de cores escuras, ricos em vitamina C
- Incluir alho e cebola na dieta
- Além do mel, consumir própolis e geleia real
- Própolis, de 15 a 20 gotas diariamente
- Geleia real, de 1 g a 2 g
- Consumir farelo de aveia para a saúde intestinal

Suplementação

- Vitamina C, de 1 g a 1,5 g por dia, se necessário
- Selênio e zinco são nutrientes matérias-primas do sistema imunológico
- Selênio, por exemplo, está presente na castanha-do-pará - apenas duas unidades são suficientes para repor a necessidade diária
- O zinco está em castanha de caju, amendoim, ovos e feijões
- Vitamina D, caso não seja possível se expor ao sol

Cuide-se

- Durma bem para evitar o estresse


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados