Qualificação

Espaço para fomentar o Carnaval

Com oficina de composição, Cia. Daniel Amaro lança escola com o objetivo de qualificar profissionais desta área

20 de Julho de 2019 - 10h31 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Músico Sulimar Rass ministra primeira oficina (Foto: Infocenter DP)

Músico Sulimar Rass ministra primeira oficina (Foto: Infocenter DP)

Fazer Carnaval pode ser uma atividade passada de pai para filho. Mas o espetáculo pode ficar ainda melhor se quem o faz alicerça a atividade em conceitos alinhados aos utilizados pelos jurados. Esta é a proposta do projeto Escola do Carnaval, uma iniciativa conjunta da Arteria Espaço Arte e da Cia. Daniel Amaro e seu coletivo de jurados, que começa as atividades realizando oficina de Composição musical popular no próximo final de semana.

A oficina será ministrada pelo instrumentista cantor e compositor Sulimar Rass, que integra o banco de jurados da Cia Daniel Amaro. O encontro ocorrerá dias 27 e 28 deste mês, das 15h às 18h. Durante o curso serão abordados temas como a estrutura musical, letra, harmonia e arranjo.
Esta é a primeira de uma série de cinco oficinas que a Escola do Carnaval vai lançar este ano. O trabalho é direcionado aos profissionais que atuam nas escolas de samba e o objetivo é ajudá-los a se qualificar para o trabalho nos barracões.

Fabiana Santos, da Cia Daniel Amaro, explica que a intenção é melhorar o espetáculo Carnaval. Com a experiência em formar jurados, Fabiana diz que o trabalho feito nas escolas de samba ainda é calcado nas experiências vividas anteriormente e que é preciso se profissionalizar. "É preciso ter conhecimento sobre o que é cobrado", diz.

O coreógrafo Daniel Amaro, que há alguns anos ministra cursos de Mestre sala e porta-bandeira e de Samba no pé, lembra que o julgamento é técnico. Porém, algumas vezes os compositores não está criando com as especificidades técnicas necessárias para enriquecer sua obra. "E de certa forma, quando eles forem julgados, isso vai aparecer", fala.

Para Fabiana é preciso que o trabalho no barracão esteja alinhado com os critérios utilizados pelos julgadores. "Não adianta querer jurados preparados. Preparados para quê? Temos que nos profissionalizar e passar a falar a mesma língua em prol de um Carnaval maior, mais profissional", argumenta.

Outros encontros

Nos próximos meses outros temas serão foco de oficinas. "Vamos fazer em todos os quesitos que são julgados", antecipa Fabiana.

No dias 31 de agosto e 1º de setembro ocorrerá a oficina de Samba, ritmos e levadas, com Renato Popó, enfocando instrumentos graves e agudos, surdo, tarol, repinique, jamelão e chocalho. Inscrições e informações para as duas atividades podem ser obtidas pelos telefones (53) 98446-8969 e 99975-8822 ou pelo e-mail escoladeartedocarnaval@gmail.com.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados