Cultura

Editais devem reaquecer área cultural

Secult apresenta medidas para dar suporte à comunidade artística prejudicada com as ações de contenção ao avanço do novo coronavírus

24 de Março de 2020 - 22h15 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Ronna trabalha para que os agentes culturais continuem ativos (Foto: Infocenter DP)

Ronna trabalha para que os agentes culturais continuem ativos (Foto: Infocenter DP)

As ações de contenção ao avanço do novo coronavírus produziram um efeito colateral no meio artístico, o cancelamento ou adiamento de eventos e produções. Com o objetivo de minimizar esses prejuízos, a Secretaria de Cultura de Pelotas (Secult) adotou três medidas que envolvem a criação de dois editais e a prorrogação dos contratos vigentes. Além destas, foi lançada campanha solidária em auxílio aos trabalhadores do setor que estejam em dificuldades. Estas intervenções prometem dar um suporte aos agentes culturais neste período.

"É importante que a comunidade cultural saiba que nós vamos continuar publicando editais e disponibilizando recursos para a cultura", fala o secretário, Giorgio Ronna. Uma das medidas é prorrogar os contratos e reagendar datas dos projetos do Procultura e de Apoio a Eventos, que estão em andamento.
O secretário fala que legalmente não é complicado pôr em prática essa ação. "É uma ação que tem de ser tomada", diz.

Um dos exemplos é o da produção audiovisual Cachorros de Pelotas, financiada pelo Procultura, que agora seguiria cronograma de exibições em escolas pelo edital de Apoio a Eventos. Porém, com a suspensão das aulas, o filme está sendo disponibilizado pela internet (vimeo.com/325955873). "Assim que der vai ser reagendado", fala o secretário.

As outras duas medidas envolvem a criação de editais. Um deles recria o Sete ao Entardecer. A ideia é que ocorram transmissões de shows de músico ou grupo musical a partir do palco do Sete de Abril, preferencialmente. "O que a gente quer é continuar possibilitando que as bandas e os músicos de Pelotas tenham essa possibilidade de trabalhar e que o público continue tendo contato com a produção musical daqui", fala.

O outro edital se refere a bolsas de criação artística e deve contemplar todos os segmentos culturais. A medida visa possibilitar que os artistas continuem produzindo das suas casas, dos seus ateliês. "Essas bolsas de criação artística é para que a nossa classe artística continue ativa, mas de uma forma mais introspectiva."
As propostas foram lançadas na segunda-feira e ainda estão sob construção. Não foram divulgados valores dos editais nem uma data certa para a o lançamento de ambos.

Ronna acredita que até o final da próxima semana eles já estejam prontos. Sobre o edital do Sete ao Entardecer, o secretário diz, ainda, que a Secretaria tem um padrão de cachês, que deve ser o mantido. "Agora precisamos entender como vamos viabilizar tecnicamente essas transmissões, mobilizando um número mínimo de pessoas."

Campanha

Com foco em prestar auxílio aos agentes culturais locais que estejam com dificuldades, a prefeitura de Pelotas, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), promove uma campanha de auxílio à comunidade artística que esteja passando por dificuldades em razão da situação de emergência para contenção do novo coronavírus.

Serão arrecadados itens de higiene pessoal e alimento não perecível. Quem puder colaborar com a campanha solidária deve entrar em contato pelo e-mail secultpel@gmail.com para combinar as doações. Agentes culturais que estejam precisando do auxílio podem entrar em contato pelo mesmo e-mail para fazer seu cadastro. A Secult fará a entrega das doações.

Agenda cancelada

Um dos músicos mais atuantes na noite pelotense, Fábio Saraiva diz que tudo que as autoridades públicas puderem fazer pelo setor artístico é muito bem-vindo. O músico e sua banda tiveram a última apresentação dia 14 deste mês e agora amargam o cancelamento de toda a agenda de abril. "Para maio o pessoal ainda está vendo, mas acredito que só volte mesmo depois de junho", diz.

O músico fala que o setor cultural deve ser o último a retomar as atividades, especialmente por ter a característica de fazer aglomerações. Na expectativa dos editais, pede que os agentes públicos sejam sensíveis neste momento e os descompliquem. "Muitos artistas precisam contratar produtores culturais para se inscrever porque é muita burocracia, espero que sejam mais simples."


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados