Lançamento

Documentário traz falas de mulheres pretas

Audiovisual, que traz depoimentos das homenageadas da mostra fotográfica Donas da História, pode ser visto nas redes sociais do Palácio Piratini

14 de Janeiro de 2022 - 13h01 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Judith Bacci é uma das homenageadas (Foto: Palácio Piratini - Especial DP)

Judith Bacci é uma das homenageadas (Foto: Palácio Piratini - Especial DP)

Depoimento da pelotense Regina Nogueira está no documentário (Foto: Álvaro Bonadiman/Palácio Piratini - Especial DP)

Depoimento da pelotense Regina Nogueira está no documentário (Foto: Álvaro Bonadiman/Palácio Piratini - Especial DP)

Atuação da Griô Sirley Amaro foi lembrada na mostra (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini - Especial DP)

Atuação da Griô Sirley Amaro foi lembrada na mostra (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini - Especial DP)

Para anunciar o último mês da mostra fotográfica Donas da História, evento presencial e virtual do Palácio Piratini, foi lançado na quarta-feira (12) o documentário homônimo, com produção de Deborah Anttuart e Iris Neto. A obra traz o depoimento de oito mulheres negras: Valéria Barcelos, Vera Daisy, Daiane dos Santos, Karen Luise Vilanova, Regina Nogueira, Giane Vargas, Cristal e Onira Pereira. O foco do projeto está no conteúdo que aborda a história, memória e representatividade nas falas das homenageadas. A exposição presencial permanece na sede do governo do Estado até o dia 12 de fevereiro.

A exposição Donas da História, que integra as ações que marcam o centenário da sede do Executivo, foi inaugurada em 19 de novembro, dentro das celebrações dos 50 anos do Dia da Consciência Negra. A exibição apresenta fotos e biografias de 16 mulheres negras gaúchas, oito delas in memoriam e o trabalho teve a curadoria da historiadora da arte e curadora do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), Izis Abreu, e da assessora de Diversidade da Secretaria da Cultura (Sedac), Clarissa Lima, que participam da Comissão do Centenário do Palácio Piratini.

"Elas não desistiram, mesmo quando diziam que tudo daria errado. Neste sentido, o Palácio Piratini faz uma singela homenagem a dezesseis personalidades femininas, de diferentes gerações, que são um exemplo da resistência da mulher negra sul-rio-grandense. Contrariando todas as expectativas de uma estrutura social sexista e racista, elas conduziram e protagonizaram a sua própria história", escreveram as curadoras na época do lançamento da exposição.

O material pode ser apreciado no salão Negrinho do Pastoreio e também de forma on-line pelo link https://www.palaciopiratini.rs.gov.br/exposicoes. Entre as homenageadas estão três pelotenses, a griô Sirley Amaro e a escultora Judith Bacci, ambas in memorian, e a médica Regina Nogueira, que presta seu depoimento ao documentário. O documentário pode ser visto redes sociais (Facebook e Instagram), Canal do YouTube e site do Palácio Piratini.


Equiparação cultural

O assessor do Gabinete do Governador, Mateus Gomes explica que dentro da Comissão do Centenário há um grupo de discussão sobre o temática da equiparação cultural com a representatividade gaúcha por meio das obras de arte, especialmente pelos painéis do italiano Aldo Locatelli (1915-1962). Entretanto, um dos mais conhecidos destes painéis, A formação histórico-etnográfica do povo rio-grandense não traz o negro como um dos elementos formadores dessa história etnográfica. "A comissão está focada em propor ações que promovam essa equiparação."

Uma outra exposição com este mesmo formato e propósito ocorreu durante a Semana Farroupilha intitulada Gaúcho - Para além do imaginário, com fotos de Fábio Mariot, que segue aberta no site. Donas da História, a segunda iniciativa, buscou valorizar as conquistas das homenageadas. A ideia surgiu a partir das pesquisas da curadora Izis Abreu sobre a representação de sujeitos negros na história da arte, especialmente a figura das quitandeiras negras.

As oito homenageadas que ainda estão vivas foram fotografadas no Palácio, onde também foi colhido o depoimento para um outro conteúdo. Porém as entrevistas feitas resultaram em um material forte e oportuno que chega agora ao público em forma de documentário. "O depoimento da Vera Daisy, que é jornalista, fantástico, muito rico. A gente também pretende subir ele (o depoimento dela) bruto", comenta Gomes.

A campanha da Semana da Consciência Negra tinha como título O povo da pele preta tem muito pra dizer, o que inspirou a produção audiovisual. "O documentário não aborda a história literal de cada uma. Elas se apresentam, mas na verdade a gente quer que elas tenham um lugar para falar, dentro desse contexto. A gente quis que tivesse em algum lugar as falas delas."

Homenageadas da exposição Donas da história

Cristal; Daiane dos Santos; Giane Vargas; Karen Luise Vilanova; Onira Pereira; Regina Nogueira; Valéria Barcellos e Vera Daisy Barcellos

In memoriam

Amancia Coringa; Judith Bacci; Mãe Preta; Mãe Rita; Maria Ignácia da Conceição; Rainha Ginga Severina Maria Francisca Dias, a Sibirina; Sirley Amaro e Teresa Franco


Serviço

O quê: lançamento do documentário acerca da vida e memória das mulheres homenageadas na exposição Donas da História

Onde: Facebook e Instagram, Canal do YouTube e site do Palácio Piratini

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados