Talento

Do Capão para onde ele quiser

Voluntário em ONG, desenhista produz história em quadrinhos ambientada no Capão do Leão

04 de Maio de 2020 - 10h03 Corrigir A + A -
Personagem Thanos desenhado por Roger Ramos (Foto: Divulgação - DP)

Personagem Thanos desenhado por Roger Ramos (Foto: Divulgação - DP)

Roger Ramos ministra oficina de desenho na ONG Semear (Foto: Divulgação - DP)

Roger Ramos ministra oficina de desenho na ONG Semear (Foto: Divulgação - DP)

HQ

HQ "Celestial" é protagonizada por leonense negro (Foto: Divulgação - DP)

O traço do artista Roger Ramos é real de dois jeitos: no retrato, representa o personagem desenhado com muita riqueza de detalhes. Nos quadrinhos, traz um protagonista negro como ele e a maioria da população brasileira. Pela qualidade, o trabalho do artista natural do Capão do Leão tem recebido o reconhecimento que merece.

Roger, como não poderia deixar de ser, começou a desenhar na infância, quando tentava reproduzir os personagens das animações que mais gostava. "Durante a escola, haviam muitas figuras de animais nas paredes da sala de aula que eu desenhava no cantinho do caderno após as atividades propostas pela professora", conta.Com o passar do tempo o desenho de observação foi sendo aprimorado, assim como a criação de arte e personagens.

Também como não poderia deixar de ser, há um professor importante nessa caminhada: Mario Duarte Canniver, da UFPel, pagou para Roger curso no JA Desenho, onde o leonense aprendeu fundamentos importantes e ampliou horizontes para os futuros trabalhos profissionais. "Eu não tinha condições. Foi uma atitude que eu nunca mais vou esquecer."

Base feita, Roger passou a treinar incessantemente o traço. O resultado é um trabalho primoroso que impressiona pelo realismo. E nada é por acaso. "Requer muita paciência e atenção aos detalhes. Treino cerca de duas horas por dia, o restante uso para estudar outros fundamentos como perspectiva, luz e sombra e desenho gestual." Atualmente, ele é também estudante do curso de licenciatura em Artes Visuais da UFPel.

Capão em HQ
Esta última vertente, Roger achou importante praticar para fazer crescer o projeto de história em quadrinhos produzida por ele. Uma espécie de projeto de vida que, por tal, a reportagem preferiu deixar o desenhista explicar: "É a jornada de Kylian, jovem líder de uma tropa intergalática em um mundo fantasioso, onde o Capão do Leão é uma cidade que oferece abrigo aos seres de coração bom. Após eventos catastróficos, Kylian perde parte de sua consciência e precisa recuperá-la. Para isso, é preciso resolver questões do passado. Ele encontra uma entidade chamada O Julgamento, responsável por manter o equilíbrio do universo. Seres impuros estão iniciando guerras e mais guerras, Kylian recebe o fardo de ser o único ser capaz de intervir diretamente para contribuir com o equilíbrio no universo."

Kylian é um jovem negro, assim como Roger. E não é acaso: o desenhista crê na importância de crianças e jovens se sentirem representados nas páginas por ele criadas. "É um super-herói para a minha cidade. As crianças terão um herói com quem contar, dormir abraçados na revistinha", comenta, destacando que o trabalho também traz uma homenagem ao pai, já falecido. "O protagonista acaba encontrando a figura paterna, então cada diálogo contém cada palavra que eu gostaria de dizer ao meu pai. Em cada diálogo pude expressar o quando o amo e sinto saudades."

O apego à família se estende à mãe, dona Rosemeri, trabalhadora da limpeza no campus da UFPel no Capão do Leão. Cheio de orgulho, Roger hoje pode ajudá-la em casa ao vender as artes que produz e também as ilustrações para as quais é contratado. "Tento retribuir todo o esforço e dedicação que ela tem."

ONG
Aquela semente que o professor Mario Duarte Canniver plantou lá atrás germinou. Ajudado no passado, Roger retribui hoje com trabalho na ONG Semear, presidida por Rafael Furtado Peres. Lá, o leonense oferece de forma voluntária oficinas para crianças e jovens, com o objetivo de formar senso crítico. "O desenho é uma ferramenta de expressão e identidade, nas atividades propostas, elas tem toda a liberdade de criar, expressar sentimentos, lembranças felizes e tudo aquilo que enchem seu coração de alegria", comenta.


Confira mais trabalho de Roger Ramos no Instagram


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados