Turismo

Descubra a linda e isolada Capilha

Praia às margens da lagoa Mirim é um refúgio perfeito para quem quer descanso em meio à natureza

25 de Outubro de 2020 - 09h06 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Ela é considerada um destino alternativo por muitos turistas, entre os que saem de férias ou a passeio, e os viajantes de fim de semana. Porém, ano após ano a praia da Capilha, no Taim, distrito do município do Rio Grande, vem registrando uma procura cada vez maior e se tornando rota de famílias da Zona Sul, sem perder sua principal característica: o cenário de tranquilidade às margens leste da Lagoa Mirim.

Diferente de outras praias da região, de mar ou água doce, a Capilha sustenta seu cenário natural e com pouca infraestrutura de serviços para atender a quem chega, em seus dois quilômetros de extensão. Por isso, passar algumas horas no local, àqueles que não optam por alugar imóveis na região, exige a tradicional organização dos "praieiros": guarda-sol, térmicas, toalhas, alimentação e bebida.

Chegar nas primeiras horas da manhã é o ideal, pois permite escolher os pouquíssimos espaços à sombra, mais afastados da água. E também ter o privilégio de aproveitar uma praia quase vazia, a ponto de se ouvir apenas o som da natureza ao redor. Para quem tem filhos pequenos, a Capilha parece ter sido "criada" com esse propósito. É extremamente rasa, não tem ondas e oferece bancos de areia que formam bolsões de água morna. Pode-se passar o dia nesses bancos de areia ou sentar à beira da praia e deixar os filhos se divertirem.

Público

Com a proximidade do verão e os dias cada vez mais agradáveis e quentes, a busca pela Capilha aumenta. Esse é um fenômeno que vem sendo observado nos últimos anos, a ponto de levar a prefeitura do Rio Grande a buscar junto ao Governo do Estado mais atenção à praia, da mesma forma como são atendidos outros balneários de lagoa, com guaritas e guarda-vidas. A demanda ainda oferece mais oportunidades ao comércio do pequeno vilarejo. Casas para alugar por temporada e pequenas vendas são encontradas para uma "emergência" a quem esqueceu de algo em casa.

Visita obrigatória

A Capilha comunga ainda parte da história da Zona Sul com seus frequentadores. Lá, mantém-se de pé a Capela da Nossa Senhora da Conceição, patrimônio histórico - feita para demarcar território. Construída em 1785, foi reinstaurada pelo comendador Faustino Correa em 1844. Da praia, uma passarela com 60 metros de comprimento e 1,80 metro de largura oferece acesso à Capela, que oferece uma bela vista da orla.

Como chegar

Quem sai de Pelotas (110 km) - Deve se deslocar em direção a Rio Grande, pela BR-392, e acessar a BR-471, em direção ao Chuí. A viagem dura pouco mais de uma hora de carro. O acesso se dá por uma estrada de chão, trecho bem curto, que leva até a praia.

Quem sai de Rio Grande (60 km) - Deve se deslocar em direção a Pelotas, pela BR-392, e fazer o mesmo trajeto pela BR-471. O tempo de viagem é um pouco menor.

O que você precisa levar

- Guarda-sol, tenda ou algo que o proteja do sol

- Água para beber

- Protetor solar

- Alimentos

- Se for possível, água para um banho rápido

A Capilha é ideal para

- Ler um livro

- Fazer caminhadas

- Relaxar

- Meditar

- Deixar as crianças brincarem na água

- Aproveitar o vento e praticar esportes aquáticos

- Estender a visita até o pôr do sol (fantástico)

Faça sua parte

- Não há lixeiras espalhadas pela praia, assim, é preciso que cada uma faça a sua parte. Recolha todos os resíduos que produzir e traga de volta.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados