Ideia

De quem é o próximo chimas?

Dama Etílica lança iniciativa de roda de chimarrão virtual

28 de Abril de 2020 - 13h37 Corrigir A + A -
Até esta segunda-feira, mais de cem foram contabilizados (Foto: Bianca Cunha)

Até esta segunda-feira, mais de cem foram contabilizados (Foto: Bianca Cunha)

Não dá pra ficar sem o chimarrão. Não porque a bebida é irresistível, ou porque o inverno está chegando e se aquecer é necessário. Não dá pra ficar sem a roda de amizade que ele proporciona. Mas como o não-compartilhamento de copos e bombas é uma das recomendações da OMS para enfraquecer o novo coronavírus, esse ato prazeroso teve de ganhar uma versão virtual. Para isso, a banda Dama Etílica criou uma proposta baseada na canção Vira o mate.

O vocalista, Júnior Noble, explica que a música já existe há 15 anos e faria parte de disco que o grupo lançaria em 2020. Ela chegou a ser gravada, mas a pandemia acabou desfazendo prazos e planos. Pensou-se em esperar a situação se acalmar, mas a total falta de previsão para que voltemos à normalidade impediu que essa ideia fosse levada à frente. 

Veio então uma inspiração: a Doidivanas, banda que é uma das referências para a Dama Etílica, lançou um videoclipe para a canção Próximos distantes, de disco homônimo, juntando vídeos que amigos enviavam direto de seus confinamentos em diferentes partes do mundo. O grupo de Noble, então, resolveu fazer um desafio: pediu que os fãs enviassem vídeos simulando a passagem de chimarrão de uma pessoa para a outra. O objetivo era juntá-los para formar o que seria o clipe oficial de Vira o mate.

"É uma grande roda virtual desse nosso costume que é tão forte por aqui. Como não podemos fazer isso presencialmente, pensamos nessa função de compartilhamento distante. A ideia é que o mate siga sendo o símbolo da amizade, do companheirismo, da troca, mesmo que pela internet", explica o músico, acrescentando que a canção tem tom otimista, de seguir a roda ainda que o chimarrão esteja derrubado. "Essa é a mensagem que queremos passar."

O grande detalhe é que uma ideia inicialmente despretensiosa cresceu. A Dama Etílica esperava receber 25 vídeos e, até esta segunda-feira (27), mais de cem haviam sido contabilizados. Um problema bom, entretanto: a canção teve de ser reescrita, para que todos os vídeos possam ser utilizados, e uma produtora terá de ser contratada para que o resultado final seja condizente com a proposta.

Período difícil

Indagado sobre como tem sido para o músico profissional esse período em que as casas de shows estão fechadas e os restaurantes estão aos poucos reabrindo, Júnior Noble utiliza a palavra "terrível". O pelotense afirma que a classe tem buscado alternativas para se manter trabalhando, mas crê que elas reforçam problemas antigos. "Nessas lives, quem tem dinheiro ou parceiros que banquem, consegue produzir algo com mais qualidade. Quem tem menos faz pelo celular, na cozinha de casa."

Como solução, Noble vê a necessidade de o governo municipal disponibilizar os editais anunciados no início da quarentena.

Envie o seu vídeo passando o mate até esta terça-feira
Acesse https://bit.ly/2W1Fp1f

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados