On-line

Das ondas do rádio para mundo virtual

Artista plástica Daniela Meine adapta extinto programa sobre música para o formato live do Instagram

29 de Junho de 2020 - 13h06 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Apresentadora diz  que poder falar com pessoas de outras localidades é um avanço (Foto: Jô Folha - DP)

Apresentadora diz que poder falar com pessoas de outras localidades é um avanço (Foto: Jô Folha - DP)

A pandemia alterou rotinas e escancarou a imprevisibilidade. O que era antes não poderia ser mais. Essa mudança brusca veio acompanhada por uma certa nostalgia que aparece em diversos momentos do cotidiano das pessoas. A artista plástica e Arteterapeuta Daniela Meine também sentiu esse gostinho amargo, mas aquela saudadezinha de outros tempos ganhou um novo sabor ao ser transformada em projeto virtual. Assim surgiu Trilha Sonora da Sua Vida, uma live semanal em que um convidado conta quais são as 10 composições que marcaram sua trajetória até ali.

O programa, agora live, foi adaptado para o Instagram e é exibido quinzenalmente pelo perfil do Espaço Ágape (@espacoagape). Até a própria apresentadora já foi alvo de entrevista e teve de contar quais eram as dez músicas da vida dela. “Vivendo esse processo percebi que eu coloco as pessoas em uma baita saia justa, porque quem é ligado à música, parece que está traindo algumas músicas no momento em que tu não as escolhe”, conta.

O Trilha Sonora da Sua Vida era um programa apresentado por Daniela na rádio Federal FM, em 2002. Apaixonada por rádio desde pequena, ela se inspirou em atração semelhante da rádio AM Jornal do Brasil, a qual ela não lembra se era retransmitida a partir do Rio de Janeiro ou de São Paulo, chamada As 10 mais de sua vida. “Sou de uma geração que escutava muito rádio.”

No programa do Jornal do Brasil o convidado elegia as composições de acordo com a ordem de importância que tiveram na vida dele. Daniela diz que só conseguia dormir depois de ouvir a décima e última composição, a mais importante da trilha. “Me gerava uma expectativa e causava uma coisa muito boa, eu conseguia ressignificar as músicas a partir das histórias que eles contavam”, relembra.

Há 18 anos surgiu a possibilidade de fazer algo semelhante na Federal FM. O programa era gravado no estúdio da rádio e ia ao ar semanalmente. Porém logo em seguida o projeto foi interrompido. 

Sem poder dar continuidade naquele espaço, Daniela ofereceu o programa para a Tupanci AM, mas desta vez a proposta do diretor Jorge Malhão era de que fosse ao vivo. A novidade deixou a, então, radialista bem assustada, mas o desafio foi aceito e o Trilha começou a ir ao ar nas quartas-feiras. “Tive muitos convidados”, conta ao lembrar nomes como o músico Vitor Ramil, o professor e artista plástico José Luiz de Pellegrin, e o jornalista e colunista social Flávio Mansur.

Remexendo os guardados

Os programas ficaram registrados em fitas cassetes e CDs e estavam guardados na memória de Daniela e num cantinho da casa. Durante os primeiros dias da quarentena, buscando o que fazer, a artista resolveu remexer em guardados. “Achei uma caixa cheia de fitas, comecei a escutar e reviver esses programas.”

Nesse processo de rememorar, surgiu a ideia de transformar o Trilha Sonora da Sua Vida em lives. “Comecei a assistir muitas lives, vi que existia a possibilidade, procurei saber como funcionava e aí fizemos o primeiro programa. Ainda não me acostumei a chamar de live”, fala.

Claro que a atração funciona de forma diferente do que ocorria na rádio, agora os convidados podem ser vistos pelos internautas, que comentam e mandam recados durante a exibição. Para Daniela a modalidade tem seus prós, como poder falar com pessoas de diferentes localidades do país e de fora dele.
Entre os contras está, por exemplo, a sonorização, que não tem a mesma qualidade que teria em uma rádio. “Na rádio também tem todo um mistério e te possibilita exercitar esse aspecto sensorial, da escuta.”

Independentemente do meio a emoção ainda é a mesma. Daniela revela que os convidados chegam a se emocionar ao evocar lembranças por meio das músicas. “O prazeroso e até um pouco terapêutico ainda são os mesmos.”

A tecnologia que trouxe plataformas como Spotify facilitou muito a vida de Daniela na hora da produção. “Hoje podemos encontrar músicas de qualquer época. Quando eu fazia na rádio era mais difícil.”

Feliz com a experiência, Daniela estimula as pessoas a aproveitar que estão mais em casa para relembrar as composições que marcaram a vida delas. “É um exercício de autoconhecimento e de memória.”

Além da live do Trilha, Daniela conduz o programa de entrevistas A hora da arte e o Leilão de arte virtual, no Facebook (@agapeespacodearte).


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados