Audiovisual

Curta pelotense é destaque em festival

Além da fronteira conquistou quatro prêmios no Cinema Negro em Ação, realizado pela Sedac

29 de Novembro de 2021 - 10h21 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Clara Meireles ganhou destaque como intérprete (foto Felipe Campal - Especial DP)

Clara Meireles ganhou destaque como intérprete (foto Felipe Campal - Especial DP)

Na noite de sábado (27) foram anunciadas as produções vencedoras do 2º Festival Cinema Negro em Ação, realização da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), por meio da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) e do Instituto Estadual de Cinema (Iecine). De Pelotas, o curta Além da fronteira foi destaque em quatro categorias. A cerimônia de premiação do festival, que em 2021 teve o cineasta Jeferson De como homenageado, teve transmissão da TVE-RS, em compartilhamento com TV Câmara de Santa Maria, e também foi exibida pela Prime Box Brazil.

Além da Fronteira é um dos cinco curtas que compõem o filme Fronteriz@s - projeto que reúne diferentes olhares sobre o multiculturalismo do território de integração da fronteira Brasil/Uruguai. O curta de Pelotas foi dirigido por Alexandre Mattos Meirelles, que acompanhou a cerimônia entre amigos, na casa do diretor de outro dos curtas Chico Maximila.

Feliz com os quatro destaques, entre eles o de Melhor Intérprete para Clara Meireles, filha de Alexandre, que estreou no cinema com a personagem do curta. "Ela tá toda faceira, tá vivendo um sonho", conta.

Esses foram os primeiros prêmios que curta recebe deste a estreia em abril. Anteriormente o filme participou de outras duas mostras. Com uma carreira em festivais apenas começando, Além da Fronteira ainda deve trilhar mais um ano de eventos cinematográficos. "São dois anos a carreira de um filme, por isso ele ainda deve andar um pouco por aí. Tomara", fala Meirelles.

Um dos prêmios do curta foi um contrato de três meses com a plataforma de streamming TodesPlay, que vai exibir a produção pelotense. "É um prêmio de incentivo para que o filme possa se tornar mais conhecido. Não só o filme, mas toda a equipe também. Quando a gente fala de cinema, fala de muita gente envolvida. Geralmente a gente se foca no diretor, mas é um trabalho de equipe, então é bom pra todo mundo. Todos ganham", comenta.

O curta pelotense ainda foi destaque na Direção de Fotografia, de Felipe Campal, e Trilha Sonora. Para Meireles os destaques mostram também que é possível produzir audiovisual mesmo estando longe dos grandes centros.

Quem quiser assistir ao curta pode acessar a plataforma Cultura em Casa (culturaemcasa.com.br), do governo do Estado de São Paulo. O filme Fronteriz@s, também está disponível no https://vimeo.com/578930103 até o dia 2 de dezembro, quando o Cine UFPel encerra atividades deste ano com debate on-line sobre essa produção.

Cerimônia

O encerramento do Festival, no estúdio da TVE-RS, contou com a participação da idealizadora do evento, cineasta Camila de Moraes, responsável pela curadoria das categorias curtas-metragens e longas-metragens; da curadora da categoria Mercado & Conteúdos, Sofia Ferreira; de Fabrício Zavareze e Nicolas Collar, respectivamente, curadores das categorias videoclipes e videoartes.

Dina Fagundes e Jordana Henriques fizeram as apresentações musicais da noite. A secretária de Estado da Cultura, Beatriz Araujo, em participação por vídeo, saudou os participantes e a comissão organizadora do Festival. Também por vídeo, os vencedores falaram sobre as produções e agradeceram as premiações. Ontem os troféus foram entregues em ato na Casa de Cultura Mário Quintana.


Prêmio Dona de Si

As roteiristas negras também receberam prêmio concedido pela atriz e escritora, Suzana Pires, fundadora do Instituto Dona de Si. As contempladas participam do curso do Instituto Dona de Si, que é um alavancador de talentos femininos em todos os setores da economia. Foram 14 mulheres contempladas, a lista completa com todos os destaques pode ser acessada no link: https://bit.ly/3FU8aT4 .

Confira a seguir os vencedores nas categorias Curta-Metragem e Longa-Metragem

Categoria Curta-metragem

Prêmio Estadual: Rota (Direção: Mariani Ferreira)

Prêmio Nacional: A Sússia (Direção: Lucrécia Dias, Tocantins)

Prêmio Distribuição - Produtora Tarrafa: Tá quente (Direção Bruno Ferreira, Amazonas)

Destaque RS

Direção: Desvirtude (Gautier Lee)

Roteiro: Nação Preta do Sul - O curta (Nando Ramoz)

Intérprete: Além da fronteira (Clara Meirelles)

Montagem: Rota (Rodolfo de Castilhos)

Trilha Sonora: Além da fronteira (Direção: Alexandre Mattos Meirelles)

Desenho de Som: Olhos de Anastácia: Conexões Quilombolas (Técnico de Som Giuliano Lucas)

Direção de Arte: Seriam os deuses afronautas (Direção: Rogério Fanrandóla)

Direção de Fotografia: Além da fronteira (Direção de Fotografia: Felipe Campal)

Prêmio TodesPlay: Além da fronteira (Direção: Alexandre Mattos Meirelles, Rio Grande do Sul)

Menção Honrosa: Subsidência (Direção: Beatriz Vilela, Alagoas)

Menção Honrosa: Pele de monstro (Direção: Barbara Maria, Minas Gerais)


Categoria Longa-metragens

Prêmio Nacional: Trem do Soul (Direção: Clementino Junior, Rio de Janeiro)

Destaque RS - Direção: Meu chão: Clubes Negros do Rio Grande do Sul (Direção: Jorge de Jesus e Geslline Giovana Braga)

Menção Honrosa: A última negra (Direção: Silvana Rodrigues e Camila Bauer, Rio Grande do Sul)

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados