Literatura

Conversas literárias

Segunda edição do evento Diálogos Simonianos aborda a vida e a obra do escritor pelotense em encontro no IJSLN

11 de Setembro de 2019 - 10h00 Corrigir A + A -
Debate deve incluir abordagem psicanalítica das obras de Simões (Foto: Acervo Prefeitura de Pelotas)

Debate deve incluir abordagem psicanalítica das obras de Simões (Foto: Acervo Prefeitura de Pelotas)

Um encontro para discutir a vida e a obra de João Simões Lopes Neto ocorre nesta quinta-feira (12) com a presença de três convidados: o professor Luís Augusto Fischer, do biógrafo Carlos Diniz e do psiquiatra Paulo Luis Sousa. O evento intitulado Diálogos Simoneanos realiza a sua segunda edição, a partir das 19h, no auditório Carlos Reverbel, do Instituto João Simões Lopes Neto (IJSLN). 


A temática abrangente visa proporcionar um debate aberto sobre o escritor pelotense. “Cada um dos especialistas escolhe o que vai falar. São temas simoneanos abordados de diferentes maneiras”, explica o presidente do Instituto, Antônio Carlos Mazza Leite. Este formato de evento visa uma maior liberdade para o que pode surgir durante a conversa.

Entre os convidados, o professor de literatura Luis Augusto Fischer destaca-se por desenvolver trabalhos acadêmicos sobre o célebre pelotense junto aos seus alunos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Também foi o editor das obras Terra gaúcha e Artinha de leitura, dois manuscritos inéditos de Simões recuperados e lançados em 2013.

Presente na mesa redonda, Carlos Francisco Sica Diniz pretende fazer menção, entre outros aspectos, a uma publicação a ser lançada no próximo ano. Consiste em uma coletânea formada por depoimentos de conterrâneos do escritor. Ou seja, pessoas que conheceram Simões e relataram particularidades de como era o homem que escreveu Lendas do Sul e Contos gauchescos. O biógrafo assume-se como organizador do material, assinando a introdução e as notas explicativas.

Diniz retorna aos Diálogos Simoneanos, uma vez que participou da primeira edição em dezembro de 2017, junto do músico Vitor Ramil e do geógrafo e bibliógrafo Fausto Domingues. A expectativa é que as futuras edições do evento ocorram periodicamente, com intervalos menores.

Novo viés
Ao contrário dos demais, Paulo Luis Sousa possui um tema definido para abordar no encontro de amanhã. Deve apresentar a proposta de um estudo psicanalítico referente à obra completa de Simões. “Em geral, há uma ideia de aplicar a psicanálise à literatura para descobrir os segredos e os mistérios do autor. Mas, não é isso que acontece”, adverte. Sua intenção é analisar a construção dos personagens, por exemplo, como Blau narra as histórias. 

O psiquiatra ainda destaca sua produção de escritos ficcionais, entre eles O dia em que Freud visitou Simões, que aborda uma relação imaginária desenvolvida a partir de material biográfico de ambos. “O método analítico de aplicar a psicanálise à literatura já foi realizada para inúmeros autores, incluindo Shakespeare. Porém, para Simões ainda não”, conta Sousa.



Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados