Música

Clube de Jazz de Pelotas volta ao palco com Tuniko Goulart

Show com guitarrista pelotense que em 2019 tocou com Madonna no Festival Eurovision será amanhã no Garagem Moto Pub

24 de Maio de 2022 - 10h09 Corrigir A + A -
Depois de Pelotas, guitarrista volta à Europa para nova turnê (Foto: Divulgação - DP)

Depois de Pelotas, guitarrista volta à Europa para nova turnê (Foto: Divulgação - DP)

Goulart e Negrinho Martins tocaram juntos pela última vez há 30 anos  (Foto: Divulgação - DP)

Goulart e Negrinho Martins tocaram juntos pela última vez há 30 anos (Foto: Divulgação - DP)

Em 25 de novembro de 1991, depois de 23 dias a bordo do navio Borg, de bandeira norueguesa, os músicos pelotenses Tuniko Goulart e Negrinho Martins atracavam em um terminal portuário na Bélgica para dar início a uma nova experiência profissional. Nesta quarta-feira (25), exatos 30 anos e seis meses depois, os dois voltam a se encontrar: desta vez em Pelotas, no Garagem Moto Pub, onde a Clube de Jazz de Pelotas recebe Tuniko para o show marcado para as 20h30min. Ingressos no local a R$ 15,00.

O reencontro não será apenas com o contrabaixista da Clube de Jazz, banda que volta à cena menos de um mês após o show com convidados no International Jazz Day Pelotas. Será também com os músicos e o público da cidade onde Tuniko começou a carreira profissional aos dez anos de idade - há 44 anos. Tocou em boates "classe U", em bailes pelo San Remo, Água da Fonte e Documento, passou pelo Conservatório de Música, onde foi aluno do professor Luiz Hadê, e teve, juntamente com o irmão Giovani, a Sala de Estudos Musicais Milton Nascimento. As raízes estão bem fincadas, ele garante, apesar das últimas três décadas em Portimão, Algarve, Sul de Portugal. "Sou daqui, minha cena é aqui, a única diferença é que tem um oceano no meio", disse.

A estada na cidade vai até o dia 30 deste mês. Já em 2 de junho Tuniko estará na França, onde sai em turnê com o Aquarela Trio - ele (violão sete cordas), o paulista Edu Miranda (bandolim) e o maestro e professor do Conservatório Nacional da França, o "oboman" Jean Luc Fillon: "É um trabalho de cor latina, tem choro, jazz, fazemos temas de Hermeto [Pascoal] e Gismonti [Egberto]."

Paralelamente ao Aquarela Trio, o músico dá conta de diversos projetos como instrumentista, compositor, arranjador e diretor musical. Com um disco lançado, Karoço, e participação em centenas de outros, ele prepara mais três álbuns. Um deles se encontra em estado avançado de gestação: "É um disco orgânico, eu e violão, gravo enquanto toco, no meu estúdio, em casa, de pijama e chinelos de dedo, vai trastejar, certas músicas não estudei muito bem, mas não importa, é assim que eu quero."

Já para o repertório da noite desta quarta, composições autorais de Tuniko e, dentre outras, versões para Bye Bye Brasil (Chico Buarque e Roberto Menescal) e Incompatibilidade de gênios (João Bosco e Aldir Blanc). Além de Tuniko (guitarra), a Clube de Jazz terá Renato Popó (bateria), Ebinho (teclados), Hamilton Pereira (guitarra), Negrinho Martins (contrabaixo acústico) e Gustavo Barbosa (baixo elétrico).

Com diva do showbizz

Profissional com carreira consolidada na área do jazz e da música instrumental, Tuniko Goulart já bebeu do pop numa fonte poderosa: Madonna. Sim, a diva do showbizz, que já vendeu mais que Beatles, Elvis e Michael Jackson, convidou o guitarrista para tocar com ela em Tel Aviv, Israel, pelo Festival Eurovision 2019, o maior e mais tradicional evento de música do continente europeu.

Tudo começou no ano anterior, durante show da cantora brasileira Ive Grace no Teatro do Bairro, em Lisboa, no qual o músico pelotense fez os violões e assinou a direção musical. Junto a ele e à cantora, o baterista Toni Marasca e o percussionista uruguaio Andrés Tarapia Pancho, além da participação especial do cantor caboverdiano Dino Santiago - "este quando canta o mundo muda de cor", diz Tuniko.

Após o show surge uma senhora venezuelana, que Tuniko Goulart até hoje conhece apenas por "dona Vitória". Apresentando-se como madrinha de um dos filhos adotados por Madonna, no caso David, natural de Guiné-Bissau - mora em Lisboa, onde joga futebol nas categorias de base do Benfica -, se diz emocionada com o concerto, garante que Madonna adoraria conhecê-los e se oferece para marcar um jantar entre os músicos e a cantora norte-americana, o que só ocorre, este com a presença de Tuniko, duas semanas depois. Havia 70 pessoas (era um jantar de Madonna). Tocou Overjoyed (Stevie Wonder) e Dia da lua, de sua autoria, que estará no repertório da noite de quarta-feira com a Clube de Jazz. Foi o suficiente para emplacar como guitarrista da banda de Madonna na Eurovision 2019.

"Não ganhei milhões", ri o músico pelotense. Sobre a cantora norte-americana, Tuniko Goulart a divide em dois ambientes: dentro e fora do palco. "Fora do palco é uma pessoa lindíssima", diz o músico. "Na tour é trabalho e ponto, o que ela decide é o que vai ser feito e não se arreda um milímetro, é o jeito dela trabalhar."

Serviço

O quê: Show com Clube de Jazz de Pelotas e o guitarrista Tuniko Goulart

Quando: quarta-feira (25), a partir das 20h30min

Onde: Garagem Moto Pub, rua Rafael Pinto Bandeira, 1.790

Quanto: R$ 15,00 no local


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados