Entrada franca

Cia de Dança Afro faz ensaio aberto na Baronesa

Evento vai mostrar fragmentos do espetáculo inédito Ogum, em celebração aos 40 anos do Museu da Baronesa

24 de Abril de 2022 - 09h15 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Bailarinos e coreógrafo conversam com o público sobre o novo espetáculo  (Foto: Alan Miguel Gonçalves - Especial)

Bailarinos e coreógrafo conversam com o público sobre o novo espetáculo (Foto: Alan Miguel Gonçalves - Especial)

Para marcar os 40 anos de fundação do Museu da Baronesa, a Cia de Dança Afro Daniel Amaro apresenta ensaio aberto do espetáculo Ogum, ainda inédito, neste domingo, a partir das 16h, no Parque do Museu da Baronesa. A exibição conta com parceria da Cia com o projeto Visibilidade do Negro no Museu da Baronesa. Entrada franca.

A apresentação foi agendada para exatamente no dia em que a montagem faria sua estreia no Theatro Guarany. Entretanto, questões de ordem burocrática adiam o início da carreira de Ogum no circuito de exibição. O espetáculo foi contemplado com edital FAC Patrimônio da Secretaria do Estado da Cultura (Sedac) para montagem e estreia, o que inviabiliza a apresentação antes do aporte de recursos previsto no edital.

Temporada 2022
Inédito, Ogum é a principal montagem da Cia de Dança Afro Daniel Amaro para a temporada 2022. Começou a ser concebido há alguns anos, durante escavações da equipe do Laboratório de Estudos Interdisciplinares de Cultura Material (Leicma/UFPel) na charqueada São João, nas margens do arroio Pelotas, território que concentrou mão de obra escrava nas charqueadas que foram a sustentação econômica da Pelotas do século 19 bem como constituíram a fortuna de algumas famílias no município à época.

No espaço que serviu de senzala foram descobertos artefatos em metais enterrados, com chave e cadeado, o que nas religiões de matriz africana se constitui em um assentamento. No caso, em oferenda a Ogum e Bará, divindade relacionada à metalurgia e à agricultura. A partir daí Daniel Amaro e Paco Gomes passaram a trabalhar na concepção da montagem que promete levar aos palcos 17 bailarinos e nove músicos após o sinal verde da Sedac.

Para este ensaio aberto em celebração aos 40 anos do Museu da Baronesa, o elenco de bailarinos participa não em sua totalidade. A música, composta para o espetáculo, será mecânica. Antes, um bate-papo com o público, uma proximidade que Amaro não esconde: faz falta. “É o que mais queremos, mostrar nosso trabalho depois de dois anos de pandemia”, diz.

Mais: para ele, a oportunidade se abre para a cultura negra pelotense ocupar territórios que historicamente esteve em condições de subalternidade. “Tem que se apropriar”, afirma. “Se apropriar do Guarany, do Mercado Central, da Bibliotheca [Pública Pelotense, BPP], charqueadas, Museu do Doce, se apropriar e abrir pontes, fazer a cultura negra transitar por todos os lugares sssé a contribuição que eu e tantos outros artistas desta cidade oferecemos.”

Serviço:
O quê: Ensaio aberto do espetáculo Ogum, da Cia. de Dança Afro Daniel Amaro, em celebração dos 40 anos do Museu da Baronesa
Quando: neste domingo, às 16h
Onde: Parque do Museu da Baronesa
Entrada franca


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados