Literatura

Cesar Lascano lança livro com contos inspirados no Xavante

Músico identificado com o Brasil buscou na poética do clube a inspiração para as histórias

06 de Abril de 2021 - 10h13 Corrigir A + A -
Músico e escritor frequenta o Bento Freitas desde muito jovem (Foto: Divulgação - DP)

Músico e escritor frequenta o Bento Freitas desde muito jovem (Foto: Divulgação - DP)

O som é diferente. A temperatura é outra. E a história, inegavelmente poética. Era questão de tempo para que a união entre literatura ficcional e Grêmio Esportivo Brasil acontecesse. Faltava, talvez, quem representasse perfeitamente essa ligação. César Lascano, músico e escritor pelotense, se propôs a ser essa pessoa. Torcedor do Xavante, ele lança agora Contos da arquibancada, reunião de textos que mesclam vivências próprias e imaginação, tendo o Xavante como protagonista. 

A relação de Lascano com o Brasil vem de berço. “Para minha alegria e desespero da minha mãe, meu pai meu levou a baixada pela primeira vez quando eu tinha apenas 3 anos. Tudo começou ali, naquela primeira experiência”, conta. A permanência perto do clube, ele prossegue, foi da forma como costuma ser com os torcedores: involuntária. “O Brasil me escolheu. “Trago com nostalgia uma outra situação, em uma manhã nublada, em que meu pai me levou para conhecer melhor o Bento Freitas. Uma manhã qualquer. Sem jogo, nem treino. Eu ainda era muito pequeno, mas lembro-me perfeitamente de quando pude entrar no gramado pela primeira vez. Visto da minha perspectiva de criança era algo absurdamente gigante. Dentro de mim o Brasil permanece com toda aquela mesma imensidão.”

Também se deu dessa forma a aproximação com a literatura. O primeiro herói foi Luis Fernando Verissimo, ainda na infância. Depois vieram os clássicos e encantamento por mestres como Ernest Hemingway, Leon Tolstoi, Oscar Wilde, Gabriel Garcia Márquez e Guy de Maupassant, a maior referência dentro do conto. 

Se o contato com futebol e literatura foi natural, colocá-los em contato não poderia não ser também. Principalmente pelo que representa o Xavante no futebol, a resistência de um futebol romântico, do interior, da paixão sobreposta à força financeira. É esse traço que Lascano busca nos textos. “Se o torcedor raiz é um ser tão singular, caricato, com os sentimentos exacerbados, o Brasil por sua vez é um clube com essas mesmas características. E vai além. Tem uma história rica e intensa. Um prato cheio para esse universo da literatura. Ele tem, digamos, o ‘perfil’ perfeito para essa abordagem.”

Apesar de se destacar por ser o primeiro livro sobre o Xavante escrito de forma ficcional, não seria possível deixar toda essa história de afetos de lado na hora da escrita. A partir daí, dessa mistura do que é real com o que é imaginação, é que Lascano pretende abraçar e ser abraçado pelo torcedor. “Cada um identifica nas passagens e nos personagens um pouco de suas vivências. A grande função da ficção nesse caso é retratar as subjetividades, o espírito do torcedor, a sua essência. E aí, nesse processo, as pitadas de realidade vão só balizando o sonho e a imaginação livre do universo de cada um.”

Além das lembranças pessoais de Lascano, Contos da arquibancada demandou pesquisa feita no acervo da Bibliotheca Pública Pelotense (BPP). Recortes de jornais, por exemplo. O trabalho foi importante para que o livro ganhasse corpo ao trazer contos e crônicas ambientados momentos marcantes da trajetória xavante, como o Carnaval de 1961 e as campanhas históricas dos anos 1980, e textos que têm como personagem personalidades importantes do rubro-negro, como o inesquecível torcedor Marcola.

Adquira

Contos da arquibancada, de César Lascano, tem apoio de Mark+, Fuhro Souto e Nativu Design. O livro está disponível em pré-venda e poderá ser retirado a partir do dia 12 de maio na loja Sou Xavante, ou ainda ser recebido em casa. Para comprá-lo, acesse o link https://contosdaarquibancada.com.br/pre/.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados