Exposição

Belezas da região

Diferentes olhares para as águas da Metade Sul se fazem presentes em exposição fotográfica no Ágape

13 de Agosto de 2019 - 10h15 Corrigir A + A -
Costa Doce. Natureza inspirou o registro tanto de profissionais quanto de amadores . (Foto: Jô Folha - DP)

Costa Doce. Natureza inspirou o registro tanto de profissionais quanto de amadores . (Foto: Jô Folha - DP)

As margens da Lagoa dos Patos, do Canal São Gonçalo e do Arroio Pelotas, Pelotas é uma cidade que se desenvolveu junto da natureza e de seus recursos naturais. O progresso, porém, não caminhou junto à valorização desta hidrografia. “A gente sabe onde é o Laranjal. O restante se tem pouco contato, até porque o acesso não é facilitado”, comenta Daniela Meine, coordenadora da exposição fotográfica Nossas águas, em visitação a partir desta terça-feira (13) no Ágape.

A realização, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), estabeleceu-se através de edital divulgado via redes sociais. Foram 50 trabalhos inscritos, sendo que cada participante poderia submeter até três imagens. Um corpo de jurados formado pela fotógrafa Laura Cruz, pelo artista visual Jérôme Rehel, pelo biólogo Pedro Fruet e pela remadora e moradora do Laranjal Beatriz Karan selecionou 20 finalistas para compor a mostra coletiva. Os quesitos avaliados foram impacto visual, mensagem, composição, criatividade e qualidade técnica.

A proposta da exposição busca voltar o olhar para esse universo constituído pelas águas da região, principalmente para uma beleza que muitas vezes se encontra escondida. “Repensar nossos arredores”, define Daniela. Tal despertar abrange não apenas Pelotas, mas toda a Metade Sul do Estado, as águas da Costa Doce.
Entre os lugares contemplados pelas fotografias estão a Ilha da Feitoria, a Praia do Cassino, o Arroio Bolacha, o Balneário dos Prazeres, a Marambaia, o Recanto de Portugal e o rio Jaguarão. “Faltam águas, mas temos uma boa representatividade da região”, acredita Daniela.

Não apenas as águas aparecem nas imagens. A natureza como um todo, com seus diferentes terrenos, vegetações, animais e colorações do céu, serviram de inspiração para os fotógrafos profissionais e amadores. Quatro das 20 imagens destacaram-se em cada um dos quesitos de avaliação, inclusive obtendo premiação. São elas: De outros tempos, de Camila Hein (criatividade); Os barcos, de Roberta Freitas (impacto visual); Olhando o mar (composição) e Garça moura sobre o mar (técnica), ambas de Luis André Sampaio.

Também integram a exposição os seguintes artistas: Sandra Sato, Ana Teresa Vidal, Luciene Barbosa, Ana Carolina Puggina, Verônica de Lima, Alberto Schwonke, Cristina Dutra, Camila Freitas, Graça Gularte e Mara Nunes.

Participação especial
O Ágape reúne, em sua primeira sala expositiva, material que complementa a mostra fotográfica. Trata-se do acervo de Paulo Renato Batista, professor aposentado e pesquisador do Patrimônio Cultural Náutico, sendo também proprietário e restaurador de veleiros pelos quais percorre a região. Os objetos, que recentemente estiveram na Bibliotheca Pública Pelotense (BPP), vão desde timão, quepe, mapas e velas até relatos de experiências pessoais e maquetes de embarcações, entre elas a do Rebocador a Vapor Silveira Martins. O volume faz parte do projeto Museu do Barco, responsável por exposições itinerantes.

Serviço:
O quê: exposição fotográfica Nossas águas

Quando: até o dia 31 deste mês, de segunda a sexta-feira, das 10h às 12h e das 14h às 19h, e aos sábados das 13h às 17h

Onde: Ágape, na rua Padre Anchieta, 4.480

Entrada franca. *Dia 24, das 9h às 17h, ocorre a oficina Sensibilize seu olhar, perceba outros mundos, com a fotógrafa Camila Hein

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados