Coronavírus

As premiadas opções de séries para o isolamento

Fleabag e Succession protagonizaram a temporada de premiações em 2019

26 de Março de 2020 - 10h13 Corrigir A + A -
Phoebe Waller-Bridge é a autora de Fleabag e Killing Eve (Foto: Divulgação - DP)

Phoebe Waller-Bridge é a autora de Fleabag e Killing Eve (Foto: Divulgação - DP)

Além de se informar, é preciso também se entreter durante o isolamento ao qual estamos submetidos por um bem maior. De divertidas a intrigantes dramas, são diversas as opções de seriados que se saíram bem na última temporada.

Comédias
Quando o assunto é comédia, não teve para ninguém em 2019. A segunda temporada de Fleabag, da Amazon, foi eleita a melhor do gênero em todas as premiações - à exceção do SAG Awards, que escolheu o elenco de The Marvelous Mrs. Maisel. Fleabag é criação de Phoebe Waller-Bridge, que também levou tudo o que foi prêmio de atuação na temporada. A série narra a jornada de autoconhecimento de uma mulher enraivecida, ácida e sexualmente voraz e tem no texto da britânica o principal trunfo.

Se Fleabag não deu chance na escolha de melhor série, restou às outras a briga nas atuações. E alguma surpresas fizeram a temporada valer ainda mais a pena. Uma delas foi a premiação de Ramy Youssef como melhor ator no Globo de Ouro pela série Ramy, que ele mesmo criou. A produção, assim como a criação de Waller-Bridge, acompanha trajetória de autoconhecimento do protagonista. Nesse caso, um jovem muçulmano incomodado com as contradições de todos os setores da sociedade.

Da HBO, a segunda temporada mostrou que a ótima construção faz de Barry uma ótima opção para quem é louco por uma maratona. O comediante Bill Hader é o atual bicampeão do Critics Choice Awards pelo protagonista que quer deixar a vida de assassino de aluguel pela de ator de teatro.

Dramas
A atual temporada foi um marco no mundo das séries televisivas. Foi dentro dela que chegou ao fim um dos maiores fenômenos da história do audiovisual: Game of Thrones. E, apesar das polêmicas causadas pelos desfechos dados para a adaptação da saga literária criada por George R.R. Martin, a produção foi premiada com o Emmy de melhor série dramática. Gostando ou não do final, a eterna guerra pelo Trono de Ferro é entretenimento de primeira qualidade.

Também da HBO vem a maior surpresa do ano passado. Após um início apagado, Succession conquistou de vez os críticos na segunda temporada. A história da família Roy, que controla um grande conglomerado de mídia, faturou o Critics Choice Awards e o Globo de Ouro de Melhor Série Dramática.

Outras séries dramáticas que levaram prêmios na temporada e merecem uma chance são Killing Eve, o jogo de gato e rato entre Sandra Oh e Jodie Comer, detetive e assassina em série, respectivamente; Pose, a narrativa da população LGBTQ+ na Nova Iorque dos anos 1980; e The Crown, drama biográfico sobre o reinado da Rainha Elizabeth II do Reino Unido.

Minisséries
Nesse segmento, a briga foi boa. Duas minisséries disputaram todos os principais prêmios e, como foram realmente muito boas, os dividiram muito bem. Uma levou a melhor mais vezes: Chernobyl, da HBO, que trouxe novas abordagens sobre uma das maiores tragédias da história da humanidade. Mas nem por isso é menos importante: Olhos que condenam, da Netflix, é o relato triste e realista do caso em que cinco jovens negros foram injustamente acusados de um estupro em 189.

Onde assistir cada uma
Fleabag - Amazon
Ramy - Hulu
Barry - HBO
The Marvelous Mrs. Maisel - Amazon
Game of Thrones - HBO
Succession - HBO
Killing Eve - Globoplay
Pose - Netflix
Olhos que condenam - Netflix

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados