Proposta

Apresentada associação Amigos do Theatro Guarany

Entidade criada por membros da família proprietária do prédio propõe métodos de gestão da casa; atual diretora contesta

19 de Abril de 2022 - 11h08 Corrigir A + A -

Por: Ana Cláudia Dias
anacl@diariopopular.com.br 

Fundadores preveem ações sociais em benefício da 
comunidade (Foto: Divulgação - DP)

Fundadores preveem ações sociais em benefício da comunidade (Foto: Divulgação - DP)

Por iniciativa de membros da família proprietária do Theatro Guarany, foi lançada neste mês a associação Amigos do Theatro Guarany. A proposta que vem sendo fomentada há uma década, segundo os organizadores, tem o objetivo de impulsionar as atividades, além de manter e renovar este patrimônio centenário. Entre os planos está uma maior aproximação com a comunidade. "A associação está atuando, recebendo doações e já tem associados", disse um dos fundadores e membro do Conselho Curador da nova entidade, Guilherme Zambrano, em entrevista ao Diário Popular.

Entre as propostas divulgadas estão a implementação de oficinas em escolas municipais para que as crianças e adolescentes conheçam e entendam a importância do espaço, além de uma programação diversificada e a promoção de ações sociais em benefício da comunidade. "Este é um sonho de muitos anos que agora começa a mobilizar mais pessoas e a mostrar para toda a sociedade que o teatro não apenas está vivo também preparado para seguir sendo uma referência cultural e de orgulho para pelotenses e gaúchos", explica outro fundador e membro do Conselho Curador da associação, Alexandre Zambrano.

Segundo Guilherme Zambrano a associação irá em busca de recursos para qualificar ainda mais o espaço, podendo inclusive fazer obras no Theatro, mesmo sem a aprovação de todos os proprietários. "Poderemos fazer aquilo que seja uma benfeitoria necessária para preservar o patrimônio. Com exceção das úteis ou voluptuárias. Mas podemos arrecadar dinheiro, preparar projetos. A gente acredita na racionalidade e no bom senso."

Um dos objetivos da associação é promover parcerias entre os proprietários e os produtores culturais, a intenção é reduzir os custos e riscos envolvidos na produção de eventos. A associação também propõe, por exemplo, uma alternativa ao aluguel fixo. "A ideia é que a contraprestação devida pela utilização do Theatro Guarany seja uma fração do valor de cada ingresso vendido. Com a diminuição do risco, é provável que a programação cultural seja cada vez mais intensificada."

Vantagens para associados

Além do objetivo de criar um novo modelo de administração para o Theatro Guarany, com a participação ativa de parceiros e usuários, a associação também está engajada em reunir pessoas que possam colaborar e desejem participar ativamente. Segundo os fundadores, os associados Amigos terão vantagens exclusivas, como o direito à compra antecipada de ingressos, a descontos e a manifestar suas preferências sobre quais eventos gostariam que o teatro recebesse. O estatuto ainda prevê que todas as categorias de associados tenham direito de representação no Conselho Curador do teatro, que irá fiscalizar e orientar a Diretoria.

Estão habilitadas a se associarem tanto pessoas físicas quanto jurídicas (essas últimas na categoria de parceiros, que terão vantagens específicas nas suas relações com o teatro). No site da ATG (www.theatroguarany.art.br) é possível conferir o estatuto e preencher o formulário de associação, que neste primeiro momento é gratuita.

Contrato atual

A associação não é reconhecida pela direção do Guarany. Em comunicado enviado para a imprensa, a empresa Zambrano & Zambrano, que é locatária do prédio desde 2009, refere. “Não reconhecemos essa associação como meio idôneo de relacionamento com o Guarany, porque foi criada artificialmente para obter vantagem em processos judiciais que envolvem os proprietários”, destaca Andreia Zambrano.

Ainda no comunicado, a diretora afirma que: “O prédio do Theatro Guarany tem oito proprietários e, destes, cinco não fazem parte da referida entidade, desta forma eu entendo que uma associação criada em Porto Alegre, sem qualquer vínculo com a comunidade pelotense, nada tem a acrescentar a Pelotas e ao Guarany. Além disso, nenhuma vantagem pode ser oferecida ao público por associação, já que ela sequer detém a posse do Theatro”.

Quanto ao contrato de locação, Andreia afirma que está em pleno vigor. “Temos várias questões que estão sendo discutidas judicialmente. Alguns atrasos de pagamentos ocorreram apenas devido a pandemia e estão sendo solucionados.”

Atualmente o Theatro é administrado pela Zambrano & Zambrano, empresa da diretora do Guarany, Andréa Zambrano, que segundo membros da associação, teve seu contrato encerrado no início deste ano. "A partir do momento em que a empresa da Andréa tenha saído e que não tenha mais nada para colocar no lugar, parece que a melhor saída pra todos os proprietários é deixar a associação administrar o Guarany e exercer na sua plenitude o projeto", comentou Guilherme Zambrano.

Também em comunicado, por meio de assessoria, os fundadores da associação afirmam que a empresa Zambrano & Zambrano Ltda. é devedora de uma quantia de aluguéis para Maria de Lourdes Guimarães Zambrano, "proprietária de 25% do Theatro Guarany e usufrutuária de mais 25% do Theatro Guarany". O caso está na justiça.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados