Expressão

A música é também bandeira

Consentrio e Marinas Found participam de coletânea nacional de bandas antifascistas

11 de Julho de 2020 - 10h01 Corrigir A + A -

bandas (1)Discurso: grupos representam o rock com opinião (Fotos: Divulgação)

A música funciona como forma de fugir da realidade por um momento, mas é também plataforma para bradar contra as injustiças e opressões do nosso admirável mundo novo. Na segunda-feira (13), Dia Internacional do Rock, será lançada uma coletânea de bandas antifascistas brasileiras, organizada pelo coletivo Arquivo Punk Rock do Sul. Estão presentes no material as pelotenses Consentrio e Marinas Found.

A coletânea será publicada inicialmente como um vídeo no YouTube, de forma gratuita, durante uma semana. Na sequência o material migrará para o blog do grupo, também gratuitamente. A proposta pretende representar “todas as bandas que levantam a bandeira junto, que entendem que o microfone é arma na direção da luta contra inúmeras opressões, que entendem que influenciar a busca por um mundo melhor é nas redes sociais também , é nos palcos e é na vida privada”, conforme está descrito no texto de apresentação.

Dessa forma, estão presentes canções de Estive Raivoso, Hempadura Hempadura Hempadura, Lo Que Te Voy A Decir, Cat Arcade, Calotas Cromadas, Punkzilla, 69 enfermos, Satan’s a Woman, Os Torto, Dead Fish, Rooster, Hermano Chiapas, Vomitose, Flanders 72, Rotten Garden, Abigail, Bleff, Solana Star, Os Replicantes, Estraganoff e Flanelas Desbotadas, além das duas pelotenses.

Na opinião de Lucas Consentins, criador e vocalista da Consentrio, a música, além de sustento financeiro para muita gente, um sustento para a alma, o que as mantém de pé. “Seja para distração ou reflexão, a música e a arte como um todo torna nossa existência suportável. Em momentos tensos e épocas como a que estamos vivendo agora é que é possível perceber o valor da arte, estando dentro disso a música, e como ela é uma válvula de escape poderosa e praticamente impossível de viver sem.”

Indagado sobre quem, através da música, parece estar conseguindo refletir o atual momento do país, o baixista Mike Pires, da Marinas Found, cita o rapper Emicida. “Seja de forma política, ou até artística, no sentido de ter feito uma baita live, assim como, falas no sentido de não se cobrar para produzir nesse momento”, justifica.

Planos

Pires assumiu recentemente as quatro cordas da banda de hardcore pelotense e já participou da gravação do show virtual apresentado pela Marinas Found através do Sete ao Entardecer, da Secult. De acordo com o guitarrista Eduardo Walerko, o músico acrescenta em experiência na cena e nos palcos. “Como um cara com certo engajamento político ele também acrescenta e muito aos nossos debates e conversas do cotidiano”, diz, destacando que a sequência de 2020 para o grupo será de paciência e produção de material para mídias sociais e de aguardar resultados de editais.

Com material gravado previamente, a Consentrio trabalha no momento na divulgação de videoclipes e novas músicas. Desde o EP lançado em março, o grupo lançou os singles São Paulo e Direto pro Sol, que ganhará clipe na terça-feira (14) no YouTube.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados