Decoração

A luz que transforma

A iluminação correta é item essencial em ambientes planejados

07 de Março de 2021 - 14h02 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

No quarto do casal, o ideal é a independência (Foto: Luana Castro - Especial DP)

No quarto do casal, o ideal é a independência (Foto: Luana Castro - Especial DP)

No lugar correto, ela ajuda a delimitar os espaços (Foto: Luana Castro - Especial DP)

No lugar correto, ela ajuda a delimitar os espaços (Foto: Luana Castro - Especial DP)

Quando se fala em organização de um ambiente interno é essencial que se planeje todos os itens que irão compor o espaço. Nada pode estar no lugar errado ou a rotina do morador pode ser dificultada. Na lista dos passos que vão compor o planejamento de cada ambiente, o profissional deve pensar na escolha de móveis e utensílios, a disposição das peças pelo espaço, o uso de cores e de materiais e, principalmente, a funcionalidade de cada parte em uma casa. Mas, o especialista não pode se esquecer de um dos mais preciosos elementos no projeto que está sendo elaborado: a iluminação.

A luz é tão importante para o planejamento interno das casas, que ela é responsável por trazer a cada ambiente um clima diferente. Se não pensada de forma estratégica, ela pode tornar um determinado espaço hostil e desconfortável. De forma semelhante a um item fora do lugar, a luz errada pode trazer transtornos ao morador, por isso ela não pode ficar de fora do planejamento. "A luz não pode ser escassa e tampouco em excesso. O correto é encontrar o equilíbrio adequado para cada ambiente", explica o arquiteto, Victor Tomé.

Para que se consiga criar harmonia entre o ambiente e o ser humano, através da iluminação, Victor lembra que é necessário fazer uma escolha assertiva quanto ao tipo de luz a ser utilizada e a temperatura dela. "A primeira coisa que faço quando assumo um projeto é perguntar ao meu cliente qual é a rotina dele, a rotina das outras pessoas na casa e quais atividades elas realizam durante as 24 horas do dia. Nós conseguimos criar várias possibilidades de uso em um mesmo espaço somente com os jogos de luz e sombra em um ambiente. Eu gosto de chamar que criamos cenas", relata o arquiteto.

Dividindo espaços

Essa é uma das marcas do trabalho do arquiteto em Goiânia. Ele desenvolveu projeto com ambientes transformados pela luz no apartamento decorado do Terraço Bougainville, a convite da City Soluções Urbanas e O.M. In. O arquiteto de fato compõe ambientes perfeitos para cada cena. "Penso na cena da esposa lendo um livro na cama sem atrapalhar o sono do marido, na cena do jantar em família. A iluminação nos dá essa possibilidade de dividir os espaços através das atividades que estão sendo realizadas", reforça Tomé.

Em uma área de estudos, fazer uma leitura de um livro vai ser impossível se não houver uma iluminação adequada. Por outro lado, o excesso de luminosidade também pode trazer muitos problemas em uma sala de TV, por exemplo. Ele ressalta que os projetos dos espaços de uma residência precisam mesclar a luz natural e a artificial.

Outro cenário

"Nos ambientes de mais relaxamento como spa relax, colocamos luzes mais fracas para dar uma sensação de tranquilidade e calma. Normalmente, entregamos opções para que o morador escolha se quer luzes mais intensas ou não. Isso ajuda a criar diversos cenários", explica o arquiteto.

Victor Tomé ressalta, ainda, que os projetos mais antigos traziam para os ambientes um único ponto de luz artificial. Esse modelo de projeto acaba limitando o uso do espaço pelo morador. Segundo ele, os projetos mais recentes passaram a ser elaborados a partir da rotina de cada morador. "Nos projetos atuais, seguimos alguns padrões quanto ao uso do ambiente, por exemplo em um escritório, optamos por luzes mais fortes e focais, como também nos banheiros", complementa.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados